sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Quem é vivo sempre aparece...

Mas afinal, eu tô mesmo viva?
Numa conversa com a minha consciência e com o cara lá de cima, concluí que todas as coisas ruins que tinham pra acontecer já aconteceram, mais do que isso, eu não suportaria.
Quis morrer, quis me matar, quis matar, quis perdão.
Quase perdi minha mãe. De novo, Marcy? Sim. O psiquiatra dela achou inevitável a internação dela numa instituição psiquiátrica. Foram os dez piores dias da minha vida. No décimo primeiro fui lá pedir a alta dela, que estava visivelmente sofrendo lá, com hematomas pelo corpo e cianótica. Trouxe ela para casa, alimentei ela e fui trabalhar (trabalhei dentro de uma academia). Quando cheguei, de táxi, depois de uma ligação histérica da minha prima, chamei a SAMU. Segundo a minha prima ela estava a mais ou menos uma hora "daquele jeito". Aquele jeito era uma crise convulsiva por hipoglicemia, sim, ela é diabética. Glicose por várias vias, uma artéria furada, sangue no chão. Fomos dormir. No dia seguinte ela acordou com alucinações e vomitando, fomos para o hospital, dessa vez uma Emergência Médica. Colocaram uma pulseira vermelha nela e a levaram de cadeira de rodas para uma ala onde eu não poderia entrar, ainda.
Depois de algumas horas o médico me chamou. Exames prontos. FALÊNCIA RENAL e desidratação. Quando ele disse falência renal eu acho que não senti minha pernas e me apoiei com os braços em algum lugar, fingindo calma. E eu pedi demissão, não tinha cabeça para mais nada.
Cerca de duas semanas depois ela saiu de lá. Ela ainda está debilitada, eu vejo ela ter dias bons e dias em que peço mentalmente para que ela acorde no dia seguinte e não morra tão cedo, porque como eu disse pra Deus, isso seria demais pra mim.

Problemas com minha prima. Caí da escada de uma casa noturna podre de bêbada e fiquei com as minhas pernas inutilizadas por alguns dias. Amigos se perdendo, outras amizades se reforçando.
Eu tenho tido dias muito difíceis, pesados, às vezes só queria dormir por quinze dias ou mais.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Dia Mundial de Dizer Que é O Dia Mundial de Começar Dieta


São 04h02min. Já é segunda. O dia mundial de dizer que é dia mundial de começar dieta. Bem, eu não preciso de dieta, eu preciso de um regime bem restritivo.
Pensei, pensei, pensei... como estou obesa (e vou ignorar a compulsão que eu tive por volta de três horas atrás) sei que meu organismo vai estranhar se de, 5000 eu passar a ingerir 500. Então pensei em mandar ver nos exercícios e reduzir em muito, a alimentação. Mas olha só, a (ex) nutricionista da minha mãe disse que exercício não ajuda nada, só alimentação. Essa mulher deveria ser denunciada. 
Enfim, voltando... Pro meu organismo não levar um susto e depois empacar, vou começar tentando ingerir umas mil calorias por dia, já que quando eu disse que meu corpo vai estranhar ir de 5000 pra 500, as cinco mil calorias, em média, não foi um exemplo.

Vou colocar aqui uma lista do que vai ser permitido comer:
* 1 prato de sobremesa de arroz e feijão.
* Couve
* Cenoura
* Abóbora
*Vagem
* Brócolis
* Couve-flor
* Berinjela
* Alho e cebola para temperar
*Azeitonas
* Abacaxi
* Laranja
* Pêssego

Tudo em quantidades razoáveis, combinado com pelo menos 40 minutos de exercício todos os dias.
Eu preciso ser forte o suficiente pra conseguir fazer isso por pelo menos uma semana. E acreditem, para uma pessoa como eu ficar sem massa e pão... acode. 
Mas o meu corpo tá implorando por ajuda.

O resto continua uma merda. Mas eu não aguento mais reclamar. Então se não for pra dizer tudo de uma vez pra quem precisa ouvir e depois me atirar de um belo terraço bem alto, então fico assim, desse jeito mesmo.
São 04h19min agora.

sábado, 26 de novembro de 2016

Palavras que faltam


Eu não sei por onde começar, como explicar tudo que está acontecendo.
.
Tenho comido mais que uma porca, onívara, que come qualquer lavagem compulsivamente.
A coisa ficou feia pra minha mãe, no que diz respeito à saúde, trabalho, vida.
Pra mim também.
Fora o que estamos passando com a alegria de ter uma baby em casa, e a tristeza de ver a mãe dela ser omissa. Aliás, acho que ela andou fuçando meu blog pelo histórico, que não me importava de apagar, já que antes era a única usuária do computador, então B, vai tomar juízo e tomar no teu cu se ler isso. Deixa o celular e olha pra tua filha. Fora todos os outros podres dela que eu descobri.

No mais, remédios e delírios.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Das loucuras...


E cá estou, mais de 24 horas depois, me recuperando de uma das piores ressacas da minha vida.
Resolvi fazer uma roleta russa, bebendo sozinha no canto da sala. A cada garrafa/lata de cerveja, um Alprazolam, remédio com o qual eu não estou acostumada. 
Resultado? Entre acordar pra beber água e ir ao banheiro, dormi no chão da sala por mais de 24 horas.

Lua me disse para acordar desse pesadelo, que eu não sou mais a Marcy de antes. Acho que não sou mesmo. Pode ser que ela esteja dormindo por aí, esperando levar um desfibrilador acordar ela, porque em príncipes, ela não acredita.
Fazendo a soma de tudo, quase perdi minha mãe no começo de 2015, depois minha irmã veio pra cá (do interior), engravidou em seguida, no meio disso minha melhor amiga me deixou, encerrou, rompeu nossa amizade por um motivo tão bobo, meus amigos estão todos progredindo, minha irmã se mudou pra cá e eu sigo sem fazer nada, exceto ajudar a fazer a bebê dormir e brincar com ela. Mas ontem, num dos dias que a minha mãe mais precisou, eu estava inconsciente... ela acha que eu apenas bebi demais, porém, acredito que o causador do efeito louco que me deu foi a mistura com remédios.
Detalhe para o fato de eu ter escrito com aquelas canetas a base de álcool nos braços pra minha mãe me dar duas Aspirinas, um Dramin e um Plazil. Estava parecendo um Smurf.

Acho que é isso.

domingo, 13 de novembro de 2016

Certa feita...

... Mamis perguntou se eu estava tentando me matar com comida. Sabe que eu acho que ela detectou aquilo que nem eu tinha detectado?!?! 
Infelizmente, sou aquele tipo de pessoa que tem O PENSAMENTO ERRADO de que se já comeu um bombom, coma toda a caixa de uma vez. Pra mudar isso, só com hipnose ou reencarnação mesmo.
A Merda continua a mesma. Eu amo demais essa minha família bagunçada, mas diz a vida que eu tenho meu próprio caminho a seguir. Só que eu dificilmente consigo sair de casa sem tomar um banho de suor antes. Aí eu penso em dar um fim nisso tudo, mas aí vem a consciência, as crenças e tudo mais.
Estou me alimentando de carboidratos, gorduras e comprimidos para dormir... tomo de dia, de noite... só pra não ter que me encarar de frente.



terça-feira, 8 de novembro de 2016

Numb Again

Depois de muito pensar, concluí que não devo satisfações a ninguém, se não a minha própria consciência, que aprendeu o que é certo, o que é errado e bem, erra muitas e muitas vezes.

Os dias estão passando de uma forma tão... estranha. Achei que hoje fosse Segunda, mas é terça. O dia de ontem passou despercebido, acho que dormi grande parte do tempo. A última coisa da qual me lembro é (e não sei qual é a ordem), eu assistindo um episódio de Black Mirror e depois lendo um livro.

A dieta está uma merda.
Eu acredito em plantio e colheita, e sei que aquilo que eu plantei de ruim eu vou colher, a própria natureza vai me dar.

No mais, o mesmo.

domingo, 6 de novembro de 2016

Mexicana


Certas coisas já não me importam mais, outras me importam tanto.
Descobri que conviver comigo, duas mulheres e uma baby não é tão difícil assim, visto o amor que eu tenho por todas. O mais difícil é conseguir conviver comigo.
Às vezes olho pra rua e agradeço pelo brilho do sol. Em outros momentos julgo como seria minha queda patética do segundo andar. Aí eu penso em recomeçar, mas, sei lá.

Bem, já que eu estou sendo tão acusada pela Isabella de fazer merda, vou contar o que eu fiz, resumidamente. Ela que conte o resto se quiser, mas eu tenho os prints de todas as conversas. By the way, meus principais contatos, aqueles que importam, inclusive minha mãe, já leram meu blog, então espalhar esse blog pra todos eles (coisa que eu não fiz no teu caso quando me perguntaram o endereço do teu blog) não faria a mínima diferença na minha vida.

Estava eu numa festa. Eu já tinha falado pra Isabella que tínhamos um conhecido e uma grande amiga (das duas) em comum. Não foi difícil saber quem ela era, uma vez que detalhava sua universidade (a mesma que eu), horário que estudava, etc, etc, etc. Até o dia que eu comecei a achar (JULGAR) cruel tu noivar com uma pessoa, dizendo no teu blog, que era puramente pelo dinheiro dela. E saber que tu nunca apresentava ela nem como namorada em festas.
Uma bela noite eu estava numa festa, havia bebido cerveja, combo de vodka com energético e Clonazepam, grandes quantidades de todos os itens citados. Aí chegou uma guria cabisbaixa, pouco à vontade, e alguém (que conhece meu blog e a Isabella) disse que ela era a ex dela. Eu, completamente bêbada, perguntei, e disse que eu conhecia ela por um site onde ela escrevia, e que ela estava sofrendo a toa porque a ex-noiva, estava com ela só pelo dinheiro. "Ah, obrigada. Agora eu entendo porquê ela terminou comigo. Meu dinheiro acabou." Já arrependida, pedi desculpas e ela ressaltou que pelo menos entendia o motivo e iria parar de sofrer pela pessoa errada. De resto não lembro mais nada.
Ela estava com o celular, creio eu, falando com Isabella. Mas na manhã seguinte, um feriado, Isabella me procurou no Facebook, em meio as ameaças disse que a ex marcou uma consulta de emergência em um consultório com a psiquiatra (detalhe: consultórios particulares não abrem em feriados e domingos aqui em POA, se ela tivesse dito emergência, teria caído melhor...).
Pediu que eu me desculpasse com a ex, coisa que eu fiz, e ela aceitou, mas ela queria um pedido formal de desculpas, o qual eu neguei, sim, neguei, porque havia admitido meu erro, me desculpado com a maior vítima, e mesmo dizendo para Isabella que eu sabia a merda que tinha feito, continuava sendo ameaçada.
"sabe de uma coisa
eu sou sordida sim
qdo eu qro ser
então
fica esperta"
(...)
"E eu acho q tu não qr uma pessoa assim na tua vida
Buscando retaliação
Então tu cala a tua boca
E me pede desculpas
No mínimo"

Então, pra quem leu até aqui, foi isso. E esse foi meu último comentário sobre o assunto.
Vamos espalhar coisas por aí? Então vamos na delegacia com as ameaças que tu me fez.