quarta-feira, 29 de julho de 2009

Ando tão cansada

Cansada da maneira com que eu venho empurrando as coisas. Da maneira como eu encaro os problemas, ou melhor, não encaro. Da mania de deixar tudo para amanhã.

Tô cansada de ver garotas que pesam entre 50 e 40 kgs se achando vacas, gordas, baleias, porcas, bolas... Não, não estou falando total e completamente daquelas que tem anorexia, a distorção da imagem, não, to falando de pessoas que abraçam essas doenças. E se elas tivessem meu peso? Aí sim, ela veriam o que é ser obesa mesmo, a ponto de quase entalar na roleta do ônibus. Elas falariam o que eu falo agora: "Como eu queria voltar ao peso passado, quando eu me achava gorda."

To cansada das faltas. Falta de abraço,de conversa, de carinho, de compreensão, de dinheiro, de coisas boas.

Mas ao mesmo tempo estou agradecida, pela saúde, pelo teto, e por ter quem eu amo.

Mas não acho que seja egoísmo pedir algo que me falta, e eu ainda não sei direito o que é.

Como eu disse no último post, não quero usar GG, mas não preciso P porra, fico contente com um M.



*Encomendei uma balança. Chega por volta do dia 15 de agosto. Chega de desculpas do tipo: Não fui me pesar porque fiquei com vergonha de ir na farmácia.

*Estou pensando em me tornar vegetariana. Mas tenho que saber me organizar pra não cair em tentação,mais do que já caio.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

EU NÃO VIM PRA ME ADAPTAR


Eu vim pra seu eu mesma, do jeito que eu sou, do jeito que eu quero.
Convivi com familiares de cabelos lisos, loiros, castanhos, e olhos claros. Eu nasci com cabelo crespo e olho escuro, e gosto dos meus cachos e do escuro dos meus olhos.
Sempre me senti mal perto delas, não pelos olhos, cabelos, isso e aquilo. Elas eram magras, andavam na moda, eram cobiçadas, e eu era a engraçada e desengonçada da turma.

Tentei me adaptar ao mundo, ao que é bonito, e só sofri. Perdi tempo precioso da minha vida. Enquanto eu só pensava em me tornar magra, esquecia o resto das coisas, deixava de sair pra ficar em casa comendo. E no que deu isso? Fiquei mais gorda do que estaria se saísse e encarasse as pessoas na rua. Mas eu tentei me adaptar.

Por que eu não tentei me adaptar a mim, as minhas vontades, ao que eu acho bonito? Eu não faço o estilo garota esquálida, eu só queria usar umas roupas que eu achava bonita e não me serviam. E isso se tornou uma obsessão e um problema, porque já que as roupas não me cabiam, eu comecei a achar que nada me cabia, que eu não cabia em nada. Nunca pensei em perder 2 kgs essa semana, não, sempre pensei em perder 20 kgs em dois meses. E deu certo? Nada! Desperdício de tempo apenas. Eu achava que se eu comesse um gomo de laranja a mais do que o planejado, tudo estaria arruinado, e o que eu fazia/faço quando todo dia como um gomo a mais? Vou lá e como tudo, porque afinal, já que eu estraguei o almoço vou comer a tarde inteira, a noite inteira, e amanhã começo uma dieta! Na hora de dormir, percebia que nem o gosto de tanta comida eu havia sentido, e no dia seguinte, o gomo a mais outra vez, e tudo a mais em dobro.

Cansei e não quero mais tentar me adaptar, não quero continuar obesa, não quero ser tamanho GG nem P, fico feliz com M, juro.

Semana que vem vou perder 1,5kgs, sem laxantes, diuréticos e afins, serão 1,5kgs de gordura, não de líquido.
E na próxima semana, ou mês, ou no próximo ano? Eu vou ver quando chegar lá. Não dizem que o amanhã é resultado de hoje?
Então...

terça-feira, 21 de julho de 2009

TIME TIME TIME TIME TIME TIME


Nesse sábado completo dezoito anos.
Vivem me dizendo: Agora é maioridade heim?!
E o que eu digo? E daí? Não tenho emprego, não vou tirar carteira, não to na faculdade... Mas em compensação posso ser presa, levar processo, e quando eu me meter em alguma roubada ninguém vai chamar minha mãe pra conversar, serei oficialmente responsável por minhas ações.


Eu gostaria de ter aproveitado melhor a adolescência, o ensino médio, mas no meu balanço eu tive muitos momentos bons, mesmo, de verdade. Mas o meu estado de espírito prefere guardar os piores momentos, destacar eles na minha lembrança, ao invés de lembrar mais constantemente dos bons.

E o que eu vou dizer quando estiver prestes a fazer 28, 30???
Não se sabe.... Mas hoje eu peço que o tempo não passe tão rápido.


EU PROMETO AQUI, DIANTE DE VOCÊS, QUE TENTAREI APROVEITAR MELHOR O MEU TEMPO, SUGAR AS COISAS BOAS PARA DAQUI HÁ ALGUNS ANOS, SER ALGUÉM MELHOR.


domingo, 19 de julho de 2009

Enquanto isso, na aula de violão...

No começo:

Professor diz-Sabe, o violão também é uma forma de terapia, ajuda a deixar a pessoa mais calma.
(...)
-Fica praticando dez minutos de escala cromática, eu vou ali na recepção, e eu não quero ouvir 'ai que ódio, ai que raiva, eu me odeio...'

No fim:
-Bem dizer hoje foi uma aula de 'CALMA MARCY, NEM TUDO TÁ PERDIDO'...
...
-E tu tá bem? como é que tu tá?
-Ótima...
-Fora o violão... o que te atrapalha?
-Nada. Tchau.

Eu exalo tensão, ansiedade, nervosismo, baixa auto-estima e sei lá mais o que, na terceira aula o professor me parece a orientadora nos tempos de escola.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Uma breve história



Ela foi descobrindo aos poucos que não havia nascido pra ser uma princesa ou uma boneca. Na escola, nunca ganhava os papéis principais nas peças,não tinha amigos pedindo seu telefone, como acontecia com as garotas populares. Ganhava apelidos feios, quando tentava se juntar aos normais, era humilhada. Fazia xixi na calça na sala de aula, e até hoje ela não sabe porque. Mas apesar disso era uma criança sadia, que adorava seus poucos amigos, gostava de correr, ler, brincar de faz de conta. Mas conforme ia crescendo, percebia que a vida nunca seria um conto de fadas, e mais tarde, percebeu que nem gostaria de viver um. Gostaria de viver uma aventura, ter emoção, sentir o medo do perigo e enfrentá-lo, mas isso nunca aconteceu. Começou a descontar suas frustrações em comida. No final da fase escolar os apelidos cessaram, ela achava que todos tinham pena dela, por isso ninguém tinha coragem de gritar na sua cara os velhos apelidos, e cantar as músicas humilhantes que inventavam para ela na 7ª série. Desde a infância descobriu na internet uma forma de se comunicar com as pessoas sem mostrar seu rosto, sem precisar passar por todo o constrangimento de ser observada, então entrava em fóruns, chats e afins. Mesmo com toda a timidez, quis fazer teatro, mas não teve apoio para isso. E logo começou a descontar suas frustrações na comida. Ela não entendia na época, mas hoje sabe que faz isso tentando repor com comida coisas que não teve, mas mesmo consciente disso, hoje ela não consegue mais controlar.
Ela está desesperada, e no momento, com a barriga bem cheia, disposta a pagar preços altos e não fatais. Ela acha que a bulimia pode matar sim, aquela que a fez ter convulsões ano passado, mas ela pensa que morrer aos poucos de tristeza é bem pior.

Quando o problemas não são as coisas ou as situações...

Estou tentando viver mais e sonhar menos. Sem grandes expectativas. Essas últimas semanas até foram legais, saí, fui ao cinema, andei pelo centro, ri com minha mãe, andei pelo centro de novo, fui em um parque de diversões com três amigas amadas, em um show com a Camila, andei pelo centro mais vezes, e claro, minhas aulas de violão. Mas ainda assim me sinto vazia de certa forma, não sei explicar porque. Parece que falta alguma coisa, que eu nem sei o que é.

Seguinte, vou deixar aqui o selinho pra quem cumpriu o LFC, porque eu ainda não tive tempo de ler todos os blogs e to atrasadíssima com os selos.

Abraços!












Vou passando agora calmamente em vossos blogs. Espero que esteja todo mundo ok.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Off

Gente, to sem internet em casa, não sei até quando. Minha mãe cancelou o antigo provedor e tá tentando instalar um novo, mas só dá travas, e nunca vai pra frente.

To numa Lan House, então não vou postar imagens... fica difícil comentar nos blogs por causa das fotos e tal, e tá cheio de gente aqui, e eu to num pc de costas pra porta.

Mas seguinte, claro, não cumpri todo o LFC, mas os selinhos estão prontos e serão entregues a quem cumpriu.

As coisas aqui estão normais, momentos de tensão, momentos bons.

AHHHHHHH
Comecei a fazer aulas de violão, estou me dando bem mal, porque cara, é muuuuuito difícil! Mas eu não vou desistir disso. Pago cada mico com o professor, haja paciência.

Beijocas mil!