terça-feira, 29 de setembro de 2009

Imagine agradecimento seguido de nervosismo e pronto! Você tem um título.


Eita semana, espero que passe muito lentamente.

Sobre o final de semana com a minha vó: Foi muito bom, principalmente sexta e sábado. Conversamos, rimos, assistimos novela, até a minha mãe, que antes pouco falava com a minha vó, conversou mais com ela. Fico feliz e agradeço a Deus por isso. Domingo o tempo fechou totalmente, está frio e úmido. É triste ver na TV centenas de pessoas perdendo tudo com essa chuva que não cessa. Culpa de quem? Nossa!
Minha vó voltou pra casa da minha tia, iremos fazer um revezamento, as vezes ela fica aqui, as vezes lá.

Hoje minha mãe não estava muito legal, isso me afeta também. Não sei explicar,mas eu sou ligada à minha mãe de uma maneira muito forte, espiritualmente eu acho. É como se, quando ela fica triste ou doente, mesmo que eu esteja bem em todos os sentidos, de repente eu fico mal, mais fraca do que quando eu mesma estou triste, me cortando, e tendo minhas compulsões. É um sofrimento diferente que eu sinto quando ela sofre, diferente do meu sofrimento, e eu acho que pior que o meu sofrimento.

Então, não to muito preocupada com dieta essa semana, to preocupada com a melhora da minha mãe (que eu sei que vai acontecer) e com o ENEM, que ocorrerá nesse final de semana. Ainda não recebi minha carta, com minha senha, o questionário socioeconômico e o cartão de respostas que tenho que ter no dia. Pela internet só está disponível o local da prova. Greve dos Correios, veio em hora boa heim, merda! Obviamente comprarei chocolates, hoje, amanhã, depois. Mas hoje eu estava tão nervosa, ansiosa e sei lá o que, que fiz 45 minutos de simulador de caminhada. Irônico. Também preciso lembrar de tomar antialérgico, remédio pro estômago (azia e gastrite me pegaram de vez), e continuar me alongando durante a semana.

Vou ficando por aqui, são 03:48 da madrugada, estou meio agitada.
Bye


quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Adicione água em pó, farinha líquida, carne vegetal e crie um título


Há três semanas começou uma sucessão de fatos que me fizeram ficar desesperada, culpada, beber, comer, blábláblá.
Quando vi que só estava piorando as coisas, parei de beber, de chorar, me desesperar e tentei buscar uma solução.

A maioria de vocês sabe que eu cuido da minha vó desde os 11 anos, mas há 3 semanas ela foi parar no pronto socorro, e minha tia achou melhor levar minha vó pra casa dela. Minha tia mora na rua ao lado, mas a sensação de fracasso foi enorme. O diagnóstico foi pedra nos rins, ok, ela eliminou a tal pedra que estava incomodando, mas está muito debilitada. Ela fez uma tomografia abdominal e descobriram que tem algo além das pedras nos rins, e ela vai ter que fazer uma cirurgia. Minha vó frágil, de 79 anos passando por uma cirurgia, obviamente isso me dá calafrios de medo, fora o psicológico dela, que deve estar muito abalado.

Eu passei os últimos meses reclamando da minha vida, de nunca poder ter tempo livro porque eu tinha que cuidar da minha vó, e eu realmente queria tirar uma espécie de férias, mas não nessas condições. Sábado minha vó vem almoçar aqui em casa, e terei uma conversa com ela, porque eu sei que ela é franca comigo, e eu sou realmente franca com ela. Se ela quiser ficar aqui depois da cirurgia(que aliás, correrá muito bem, disso eu tenho certeza) eu estou pronta a aceitar ela aqui, e cuidar dela com todo carinho que ela merece, dar a máxima atenção e agüentar todas as dificuldades de um pós operatório, porque se essa for a minha missão, eu aceito, eu preciso cumpri-la, e eu amo a minha vó. Ela, a minha mãe e a B. são meus alicerces, meu teto, minhas paredes e meu chão. Vocês minhas amigas queridas, são as minhas janelas, minhas portas que me levam para lugares bons, risonhos e límpidos.


Agradeço aos comentários de vocês, minhas amigas, eu vou fazer o raio da prova naquela escola, e se ver algum conhecido, CARÃO NELES.

Beijos, abraços e ventos bons.





quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Imagine um título idiota e seja feliz



Quer pessoa com mais azar que eu? Sim, provavelmente você vai encontrar... então não posso dizer que sou a pessoa mais azarada do mundo. De fato até tenho privilégios, mas olha isso...

Todos que me acompanham aqui ha mais tempo sabem que eu vou(pretendo?) fazer o ENEM esse ano, pra conseguir uma bolsa de estudo na faculdade.

Todos sabem que o que eu menos quero é voltar na minha antiga escola, onde fui gorda, emagreci, fui bonita, tive uma convulsão no auge da minha bulimia maldita com direito a dois socorristas sexys da SAMU e depois dei uma engordada. Mas lembrança que eles tem de mim, a última vez em que me viram, eu era no mínimo, 15kgs mais magra, em dezembro passado.

Nem todos sabem, mas por falta de vontade de voltar naquela escola, sequer peguei meu histórico, e já estamos no final de setembro.

Agora, o que eu acabei de ficar sabendo... O local da minha prova do ENEM. Adivinhem? A minha antiga escola! PORRA, MAS QUE MERDA MESMO! Juro que pensei em desistir, pensei mesmo. E claro que também pensei: ‘Que isso guria, vai deixar os outros te derrubarem assim fácil?’ Mas continuei pensando! Claro que a minha mãe vai me obrigar a ir fazer, se não for a força, será sob chantagem emocional mesmo. Então já viram, humilhação total se eu encontrar algum professor por lá. Vergonha, raiva, tensão, TUDO!
MERDA!

O veneno que tenho mais próximo é o funk que meus vizinhos escutam. Será que funciona?

Termino esse post com a palavra que venho repetindo com muita raiva:
MERDA!




quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Planos a longo prazo não combinam com o meu ser

Decididamente evitarei ao máximos planos a longo prazo.
Decididamente evitarei ao máximo planos.
Meu plano é não ter um plano.
Sempre estrago tudo quando planejo demais, porque começo a sonhar demais, e principalmente nos planos a longo prazo, deixo para amanhã. Então agora não farei mais planos, e nem me estressarei com o que não der certo.
Tentarei.

Ai gente, nem comento muito a menina anoréxica da tal novela...
Atenção avuadas de plantão: Bebida engorda bem, o álcool deriva da cana, a mesma do açucar. Fora as cervejas que ainda por cima são feitas de cereais e isso e aquilo. De que adianta não comer se tu bebe que nem o cão do inferno alcoolico?
Basta.
Querendo emagrecer? Vá caminhar, é de graça e faz bem, ou vá pra academia, corte farináceos e açucar. E no jantar aquela salada de alface ou rúcula que faz bem pra pele a cabelos.
É um bom exemplo a ser seguido.

Fui gente linda!



sábado, 12 de setembro de 2009

Vou falar e... dane-se.

A verdade é que eu não sou vítima, não sou uma pobre coitada não... Eu apenas fracassei. Eu tinha apenas um dever certo nessa vida até hoje, e falhei nele. E isso dói, como dói. Dói mais do que o peso extra na balança, sim, porque junto com isso eu também atingi um peso que nunca pensei que eu fosse atingir. Resultado de muito carboidrato e cerveja. Nem fome eu sinto quando como. Isso é o chamado comer compulsivo.

Aliás, vim aqui pra falar mais sobre os TAs do que sobre o meu fracasso ligado as outras partes da minha vida.

Meu primeiro blog foi criado em 2005, mas o primeiro blog sobre Tas veio um ano depois, em 2006. Eu tinha acabado de completar 15 anos, tomava laxantes desde os 12 e vomitava desde os 13. blábláblá... Faço questão de dizer novamente que não sou pró-ana, pró-mia nem pró nada. Fui diagnosticada com bulimia e compulsão alimentar. Essa última prevalece mais forte.
Sabe, e nesse tempo eu vi muita gente entrando nessa querendo perder uns quilinhos, e ao invés de fazer uma dieta decente, algumas pessoas resolvem adquirir anorexia ou bulimia.
Devo dizer o que todas nós já sabemos: Transtorno alimentar não é glamuroso, não é bonito. É sujo, é sangrento e o vômito fede. Não é como nas novelas, onde a pobre mocinha bulímica vomita e sai de lá limpinha. Não... As vezes cai vomito no chão, as vezes na sua roupa... E quando sair sangue da sua garganta, o susto vai ser enorme. E ninguém desmaia com toda a beleza das mocinhas de tv. Não... Na vida real você bate a cabeça no chão, fica com um caroço na testa. Isso quando não acontece o mesmo que aconteceu comigo, você se debate em convulsão no chão, assustando quem estiver por perto.

Digo isso por que segunda-feira que vem vai estrear um novela, onde vai ter uma moça anoréxica, muito bonita por sinal. Mas na vida real, quando você tem essas coisas, seus dentes apodrecem, seus cabelos secam, suas unhas quebram. Ninguém fica com a pele e os cabelos bonitinhos, fora tudo que eu citei acima. Então já vou avisando que se alguém aparecer por aqui pedindo dicas pra vomitar, vai ouvir uma resposta grosseira. Eu não sou nem um pouco magra, caso queiram saber.



terça-feira, 8 de setembro de 2009

Untitled


Se a felicidade é relativa, a tristeza também.
Eu não sei se posso afirmar que nunca estive tão triste. A verdade é que eu tive dias mais tristes que esse, mas uma tristeza a longo prazo assim, sem um intervalo ou outro pra alegria, eu acho que eu nunca tive.
Digitei uma palavra qualquer no google imagens que se parecesse com o que sinto, e achei meu atual retrato. Estou tal qual a foto aí de cima. Todos os dias, em um momento ou outro, acabo estufada, embriagada, explodindo de excessos.

As coisas que tem acontecido nas últimas semanas, principalmente na última, me golpearam de tal forma que fica tão difícil resistir, e não sucumbir a isso.
E um fator que nunca tinha acontecido antes: Eu não consigo colocar isso pra fora, não consigo falar, escrever sobre certas coisas, não consigo tirar da minha mente ou de qualquer lugar, palavras que descrevam alguns sentimentos, alguns ocorridos.
Nunca fiz o estilo de sofrer calada, sempre desabafei, nesse blog, por e-mail, telefone, palavras, qualquer coisa, hoje estou meio travada.
Estou parada aqui na frente dessa tela ha tempos, tentando escrever esse post, alguns goles de uma bebida qualquer me ajudaram a colocar isso pra fora, aliás, tem me ajudado diariamente a conseguir relaxar. Sei o erro, sei do perigo. Eu sei.
Estou fazendo o possível. Eu fui derrubada no chão, e não vi ainda uma mão estendida pra mim. Talvez ela esteja aqui estendida agora, mas essa nuvem de problemas esteja me impedindo.
Talvez eu esteja apenas precisando de um chacoalhão da vida, porque parece que eu sou do tipo que não aprende com coisas mansas.





quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Prefiro não acordar em um novo dia

Sabem por que eu prefiro dormir durante a tarde e acordar de noite? Porque assim eu descarto a possibilidade de ter esperança de um novo dia. É como se eu estivesse vivendo sempre o mesmo dia, com algumas oscilações pra melhor ou pra pior. Quando venho pra frente do computador o dia está escuro, e quando saio daqui pra preparar o café pra minha vó, já está claro. Não quero mais falsas expectativas, porque a maioria das que eu tive me foram abatidas, como se me tivessem jogado um balde de água fria.


Quero agradecer a todas vocês pelo apoio de sempre, e algumas pessoas merecem um agradecimento especial por tantos momentos ultimamente.

Lovely, minha amiga de todos os momentos, inclusive de jogatinas virtuais. Diversas vezes posso dizer que me salvaste com palavras. Obrigada.

Miley Zero, com quem tenho passada algumas horas de muito riso, incitando psicopatas da cidade dela, falando bobagens e coisas sérias. Obrigada. Melhor momento que eu tive na semana passada foi quando eu estava no msn/twitter contigo acordando toda a casa! /EU SOU, GOIAABA/

Anne Darkness, exemplo em tantas coisas, tão dedicada. Obrigada por tudo.

Andie, mesmo ocupadíssima, sempre dá um oi rápido, prepare-se pra quando tiver um tempo, vou te atormentar!!! Obrigada pelas lembranças de sempre.

E obrigada a todas que deixam seu carinho aqui.
Amo vocês.