sábado, 17 de julho de 2010

♫ Foi pouco tempo mas valeu, vivi cada segundo...♫


Vivo em altos e baixos. Minhas emoções, na maioria das vezes, oscilam com ou como o meu peso. Já tentaram definir doenças pra o que eu vivo, vários nomes surgiram: Bipolar, Borderline, depressão, stress, enfim, a verdade, é que não tem como me definir, porque eu sou muitas. Várias Marcys vivem em mim, quando elas resolvem se confrontar é que a coisa fica tensa, mas acho que é possível me acostumar e tirar o melhor de cada uma, até mesmo daquela que me coloca lá pra baixo, afinal ela já me gerou bons textos, alguns desenhos legais, assim como a Marcy animada me gerou ótimas situações, a Marcy irritada mais coragem, enfim. Sou tantas em uma só, sou o que sou.
Eu ainda tenho um longo caminho seguir, mas quer saber cara, cada dia é um novo dia, eu tenho uma nova chance sempre, e só isso faz todo dia ser uma vitória. Os vômitos, as compulsões, as lágrimas e os sorrisos se misturam, fazem parte, feliz ou infelizmente.

Quinta-feira, 15/07, fui no melhor show que já assisti na minha vida. Pouca Vogal, uma das melhores coisas que eu tenho ouvido nos últimos tempos.
Encerro esse post com a letra de uma música do Duca Leindecker- faz parte do Pouca Vogal, junto com o Humberto Gessinger-, e uma foto que eu tirei deles, no caso, só do Duca, que eu amo. A foto ali em cima eu tirei no Parcão em Porto Alegre.

O Amanhã Colorido

Olha a luz que brilha de manhã
Saiba quanto tempo estive aqui
Esperando pra te ver sorrir
Pra poder seguir
Lembre que hoje vai ter pôr do Sol
Esqueça o que falei sobre sair
Corra muito além da escuridão
E corra, corra!
Não desista de quem desistiu
Do amor que move tudo aqui
Jogue bola, cante uma canção
Aperte a minha mão
Quebre o pé, descubra um ideal
Saiba que é preciso amar você
Não esqueça que estarei aqui
E corra, corra!
Azul, vermelho
Pelo espelho
A vida vai passar
E o tempo está no pensamento
Olha a luz que brilha de manhã
Saiba quanto tempo estive aqui
Esperando pra te ver sorrir
Pra poder seguir
Lembre que hoje vai ter pôr do Sol
Esqueça o que falei sobre sair
Corra muito além da escuridão
E corra, corra!
Azul, vermelho
Pelo espelho
A vida vai passar
E o tempo está no pensamento
Duca Leindecker. Mestre.

segunda-feira, 5 de julho de 2010


Tenho ouvido que eu emagreci, isso de fato de deixa feliz, naquele momento. Ouvir de um dos meus chefes e de alguns colegas faz bem sim, mas claro que não é suficiente. Algumas calças estão ficando mais soltas, isso é tão bom, aquela calça que antes eu não usava porque não conseguia levantar a perna com ela de tão apertada que ela ficava, agora só com um cinto. Continuo gorda, mas acho que estou saindo da obesidade sufocante em que eu me encontrava. Levou sete meses pra isso acontecer, não quero que leve mais esse tempo pra eu chegar ao lado da magreza.
Para as pessoas que me conheceram a sete meses eu emagreci, para as pessoas que me conheceram agora, eu sou uma gorducha, ou gordinha, como quiserem, mas detesto esse “inha”. Eu quero emagrecer, preciso emagrecer, quero me sentir mais confiante.

Estou numa dúvida tremenda... Fazer ou não intensivo para o vestibular? Como eu não me lembro de nada, acho que não vale a pena, eu preciso mesmo é de um extensivo, então seria o intensivo um dinheiro jogado fora? Mas também, se eu não começar um intensivo, vou começar a fazer academia. Eu quero e preciso entrar pra universidade, mas acho que não seria crime utilizar esses últimos 5 meses do ano pra tentar desfazer alguns estragos do corpo e da mente.

Fora isso, vou levando, dou risada e sofro, alguns sofrimentos eu escolhi, porém outras maneiras de sofrimento me encontraram, coisas das quais fugia, coisas para as quais não estava preparada, parece que eu tenho o dom de me encontrar com o errado, com a frustração em algum momento, mas enfim, preciso pensar em assuntos práticos e possíveis agora.
Senhor quantas porradas preciso aprender pra deixar de me iludir?