domingo, 23 de janeiro de 2011

Na paz e na pressão

Minha vida, bem como a minha mente, é um turbilhão de coisas, surpresas, sustos, choques, risos, lágrimas. Estou tão confusa, tão absolutamente confusa que nem eu sei o que eu penso, ou no que pensar. Acho que isso me fez perder um pouco o tino pra escrever.
Poderia contar-lhes algumas, tantas tão confusas, tantas tão simples.
Meu nervosismo com essa coisa de faculdade, meu chefe pegando no meu pé, a maconha que me foi oferecida, pela primeira vez na vida. A minha recusa e o ponto de interrogação sobre afinal de contas, o que é hipócrita e o que não é.
Ou o fato de eu não ter mais coragem de ligar pra minha vó, porque sempre fico a beira das lágrimas ao telefone, e ela percebe isso, e quando eu a vejo, controlo isso um pouco melhor. Ou sobre eu estar com medo de tudo, mas ao mesmo tempo estou bem, estou feliz, estou vivendo. Mas esse medo estranho anda comigo. Mas tudo bem.

Peço desculpas pela ausência, mas nunca as esqueço.