sábado, 7 de maio de 2011

O limiar do consciente



Eu queria não me preocupar, mas não consigo nem visualizar isso acontecendo. Quando eu cumprimento uma pessoa e converso com ela, fico imaginando se ela está ou não reparando na minha barriga. Quando vou fazer uma prova sempre penso se algum colega vai reparar no meu quadril esparramado na cadeira. É difícil fazer tudo o que eu gostaria de fazer nessas condições, mas há momentos em que consigo esquecer, raros momentos, e agradeço as pessoas que me ajudam a esquecer, queria poder dizer isso à elas.

Passei mal durante uma prova nessa semana. Não, eu não deixei de comer, ao contrário, andei comendo mais do que o normal, talvez isso sim tenha contribuído para o que ocorreu. Suei frio e saí da sala de aula antes de conseguir terminar a segunda questão. Não sei se vou pra recuperação, se vou refazer a prova, também não estou me remoendo por causa disso, mas foi um momento chatíssimo.

No trabalho estou no meu limite, mas dentro de um mês entro em férias, talvez o descanso me ajude a aguentar um pouco mais, mas só um pouco, porque lá onde estou não é o meu lugar, é provisório.
Estou cansada e sem tempo, mas não esqueço desse lugar, tão realmente meu...
Apenas um comentário sobre a foto acima: Decidi parar de vomitar, isso nunca fez efeito pra mim, nem qualquer um dos tratamentos certinhos aos quais tentei me submeter. Mas chega de vômitos.