sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O Fabuloso Destino da Minha Pessoa


Foi como se a vida tivesse me dado um tabefe que doeu, me fez cair, mas em seguida estendeu a mão para que eu levantasse e me deu aquele empurrãozinho. 
As coisas melhoraram. A relação com a comida continua ok, com a minha mãe melhorou muito, como nos tempos de crianças, grandes amigas, como sempre fomos.


Virei garçonete em uma confeitaria, e às vezes me imagino como a Amélie Poulain, com um fabuloso destino me esperando. O lado bom de ser garçonete é que sinto tanto o cheiro de comida, que a fome foge mesmo.
No mais, tudo indo, eu preparo esse cenário pra que ele fique lindo.



Passarei em vossos blogs no final do dia, pois já estou correndo para o trabalho.

sábado, 17 de novembro de 2012

Sem inspiração para narrar desventuras


“Toda vez que eu quis que alguma coisa saísse de um jeito X, degringolou pro jeito Y.”
 Eu Sou o Mensageiro – Markus Zusak


Relação com a comida: ok
Relação com a mãe: Abalada
Necessidade atual: Ocupar a mente e o corpo
Com uma saudade imensa: Da irmã que mora longe

Sem inspiração para narrar desventuras


“Toda vez que eu quis que alguma coisa saísse de um jeito X, degringolou pro jeito Y.”
 Eu Sou o Mensageiro – Markus Zusak


Relação com a comida: ok
Relação com a mãe: Abalada
Necessidade atual: Ocupar a mente e o corpo
Com uma saudade imensa: Da irmã que mora longe

Sem inspiração para narrar desventuras


“Toda vez que eu quis que alguma coisa saísse de um jeito X, degringolou pro jeito Y.”
 Eu Sou o Mensageiro – Markus Zusak


Relação com a comida: ok
Relação com a mãe: Abalada
Necessidade atual: Ocupar a mente e o corpo
Com uma saudade imensa: Da irmã que mora longe