domingo, 12 de agosto de 2012

Rotina

Estou atrasada. É domingo e é muito perigoso na rua no horário em que preciso sair para trabalhar. Chamo um táxi. Estou tremendo desde ontem de tarde. Faz uma semana que parei de tomar calmantes e inibidores de apetite. Resolve tomar o inibidor e ver se a tremedeira passa. Não passo. Chego no trabalho. Atrasada. Entre um produto e outro, quase quebro o cartão de crédito de um cliente quando meus dedos se contraem involuntariamente e bruscamente. Aquele monte de pessoas me deixa nauseada. Detesto aglomerações, detesto que me observem, detesto que me perguntem coisas.
12h:00min intervalo. O tremor continua e resolvo comer no restaurante ao invés de usufruir da minha barrinha de cereal. Alguém comenta algo sobre dia dos pais e eu lembro da minha mãe e de como sou uma filha imperfeita e de como isso dói. Enquanto me dirijo ao restaurante vejo meu reflexo nas portas de vidro. Sinto nojo. Entro no restaurante e sinto que estou sendo julgada a cada porção de qualquer coisa que coloco no prato. Queria dizer que eu preciso. Salada de batata -glicose- feijão-ferro-beterraba-glicose/ferro/betacaroteno-frango-proteína-coca-cola-sódio/potássio/glicose
Quando levanto para pagar a conta sinto vergonha de mim mesma. Fraca. Observo minhas pernas refletidas em um canto qualquer. Quero tirar esse excesso de banha fora.. Observo um avião decolar. Quero ir embora daqui. Recomeçar. Excluir redes sociais e começar uma vida nova, mantendo apenas esse blog, como um refúgio. Curitiba. Londres. Paris. Dublin. Qualquer lugar onde não houvessem parentes e onde não fosse verão nem inverno o ano inteiro.

8 comentários:

Ana Karla disse...

É entendo você! Tenho vontade de sumir também, mas tenho tanto medo de ser uma precipitação! Tenho vontade de ir para qualquer lugar, como se fosse um refúgio, como se qualquer lugar no mundo, ou fora dele me confortasse mais do que estar perto de alguém conhecido! É estranho se sentir assim, e ao mesmo tempo tão normal, é sentimentos que ninguém consegue explicar, e ninguém, compreende e nem sempre quem sente também não compreende! Gostei do seu blog, é a primeira vez que visito, e conseguiu me ajudar já na primeira postagem. Bjoo

Babi disse...

Minha vontade também é a mesma!Queria só viver plena e em paz, mas parece que isso nunca irá acontecer...

Kati disse...

Ah, viver em paz... um sonho tão distante. As vezes da vontade sair correndo e não parar até tudo que eu vivo sumir de vista completamente...

Beijos

(●•Lia•●) disse...

Sinto bem sua sensação,um refúgio...logo de parentes... eu seria Amsterdam que amei conhecer e Dublim que não conheci mais amaria.

Relamente, queria ir para bem longe, principalemente depois que minha mãe se foi... sinto que minha história esta apagando-se aos poucos...e que um dia vc ser simplesmente a Lia. E tenho que construir outra historia, mas nao com esses personagens, que rodeiam agora.

Ahhh Marcy, se pudessemos... irmos para bem longe...ou para um lugar onde ninguém sabe do nosso histórico.

Eu acabei com quase orkut, facebook, msn, e outras tipos de redes sociais... continuo com o blog devido algumas pessoas que amo sem nunca ter visto pessoalmente com vc, Jessica, Gabi, Anna Williams e outras.

Mas é triste a situação!@

Mas minha flor linda, vamos continuar... temos! Necessitamos!

Um enOrme beijo.

DDD*

Srtª Vihh disse...

Ah, eu só queria poder descer do mundo por um momento, já seria o suficiente, amiga. Te entendo perfeitamente. As estações poderiam mudar por aqui, sem duvida.
beijos

Portifolio das Letras - Juliana Martinelli disse...

Eu estou bem nessa tambem, minha cidade faz calor o ano todo e eu quero muito sair daqui, esquecer tudo e todos, mas minhas memorias vao me atormentar!

@littlepistols
http://portifoliodasletras.blogspot.com.br/

Beatrix disse...

Às vezes queria que não existissem pessoas, que eu fosse a única, que todos os serviços como em lojas e.etc fossem feitos por robôs, assim me evitariam o enorme esforço que e a convivência diária com pessoas. Não gosto que me olhem, que me cumprimentem, que me façam elogios.ou que simplesmente que falem comigo. percebi que não gosto sequer de. Andar na rua, porque quero ver ninguém é nem ser vista por ninguém. Quero a fórmula da invisibilidade...

C* disse...

meu to em curitiba...

vc precisa urgente mudar de trabalho aqui tem TANTO EMPREGO!!!