sábado, 13 de julho de 2013

From this day on...



Como eu disse no post passado, havia tanta coisa, e eu precisava organizar as coisas. Ao que parece não sou muito boa nisso. E nesse meio tempo aconteceu mais um turbilhão de coisas, notícias bombásticas caindo no meu colo, o passado voltando, situações constrangedoras no presente, medos que eu nem sabia que tinha.

A mãe do meu genitor morreu. Me informaram de que ela falou bastante em mim nos seus últimos dias de vida. Foi aquela doença que não gosto nem de falar, que a tomou e em 4 meses causou o falecimento dela. Me deu um nó, porque em Outubro a irmã do meu genitor havia entrado em contato, dito que ela estava bem e que ficaria muito feliz se recebesse uma ligação minha. Não liguei.


Quanto ao meu genitor, são quase dezessete anos sem ver ele. Não tenho o nome dele na minha certidão, minha mãe teve o bom-senso de me privar disso. Se eu não tenho nenhum contato afetivo, não vejo motivo para carregar o sobrenome dele no meu RG. Mas com a morte da mãe dele, pensei em procurar ele. E ao pesquisar sua vida atual me deu mais um nó. Menos de um ano depois da minha mãe se mandar de casa grávida devido aos abusos dele, ele casou, a mulher engravidou e ele continua com a mulher até hoje. Então essa vontade de ver ele ganhou uma dose alta de raiva, mágoa. A filha dele, pouco menos de dois anos mais nova que eu, faz faculdade de Direito, em uma universidade privada. Impossível não lembrar as minhas lágrimas correndo quando eu decidi trancar o curso de Letras por falta de condição financeira. E isso foi o suficiente pra um monte de sentimento ruim brotar dentro de mim. Não sei o que fazer, só sei que vou ver ele e falar o que eu acho que deve ser falado.

Eu me recuso a ser uma vítima da sociedade cruel, vou atrás do que eu quero, mas para isso, precisei ter a sensatez de dar uma pausa pra colocar a vida em ordem, sem desespero ou pressa. Estou arrumando a casa, a horta que foi tomada por capim. Paralelamente estou tentando arrumar o que vai aqui dentro, e isso é um pouco mais complicado. Mas como eu disse, não nasci pra ser uma vítima.


Também caí fora de um emprego que eu não sei porquê raios fui aceitar. Fui embora no segundo dia. Ainda não fui lá oficializar a situação nem pegar minha carteira de trabalho. Vergonha. Resolverei isso. Mas alguém já sentiu enjoo só de pensar em voltar a um certo lugar?
Estou comendo feito uma porca, engordei visivelmente e sinceramente? Eu gostaria de alguns comprimidos pra me ajudar.

3 comentários:

Lovely disse...

Oi Marcy!!!

Eu já senti esse enjoo. Não sei porque... Ás vezes eu tenho medo (?) de ir em determinado lugar, ou de fazer alguma coisa em especial. Vai entender... :/

Quanto ao resto.
Estou praticamente sem palavras. De verdade, eu não sei o que dizer.
Só sei que... Acredito que qualquer pessoa na sua situação também estaria CHEIA de sentimentos ruins.

Quando estamos com a mente desorganizada, parece que todo o resto descarrila e fica de ponta cabeça.
Você já está começando a "arrumar" a parte de fora e isso é um bom sinal :)

Fique bem, minha amiga! Obrigada pela força de sempre!
Tenha um belíssimo final de semana.

Beijinhos

Filipa disse...

Olá querida! Acho que ainda não tinhas falado sobre o teu pai aqui. Fiquei triste pelo que li e quero que saibas que lamento muito toda a situação.
Muitas vezes, a vida é injusta com as boas pessoas, contudo, não podemos desistir de lutar e percorrer o nosso caminho, porque no fundo, foi o nosso caminho que nos tornou guerreiras e vencedoras.
Pelo que percebi, não recebeste nenhuma ajuda do teu pai até aqui. Olha à tua volta...tu conseguiste imensas coisas na tua vida sem ele. Se foi mais difícil? Sim, aposto que sim, mas é por isso mesmo que tens de te orgulhar da pessoas que és.
Quanto ao ires falar com ele...A decisão é tua. Gostava apenas de dizer-te para pensares bem no assunto. Aposto que já o estás a fazer. Boa sorte! Beijinho*
Filipa*

Camila, Camila disse...

disse tudo, tu nao é vítima, portando nao aja como tal, mas sim toma a redea da tua vida, faça o q tem q fazer e planeje como chegar aonde deseja! força q tu chega la! ;)