segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Essa coisa que sai dos olhos


Dormi chorando, acordei chorando, nem  eu mesma sei porquê. Sabe quando as coisas saem erradas todas de uma vez? Não é como se você tivesse uma vida normal e surgisse um problema do nada. É você tendo uma droga de vida com alguns momentos bons do nada.

Eu tinha uma entrevista hoje à tarde, mas com o rosto nesse estado, não há condições. Uma coisa é você derramar lágrimas por quinze minutos, outra coisa é você pegar no sono depois de muito tempo chorando, acordar, sentir que tudo está igual, e chorar por mais de uma hora.
Ah, mas você tem dois braços, duas pernas, nenhum problema, pode ser feliz. Pense nas pessoas paralíticas, com pernas amputadas que se superam.
Pois é, mas essas pessoas não são eu.

Essa semana a dieta será baseada em salada, frutas, legumes  e grãos em pequenas quantidades.


Encerro este post dizendo que a frieza das pessoas me assusta tanto quanto doenças terminais, mas que a bondade de algumas outras me faz ter um tantinho de fé ainda.

domingo, 29 de setembro de 2013

(in)decisões


Contradizendo tudo que eu disse na semana passada, minha vida está completamente pífia e sem rumo, e parece que o único jeito de conseguir mudar isso é sair da cama, tirar o pijama e ir trabalhar.
Estava conversando com a Lovely sobre emprego, responsabilidades e essas coisas, e nos lembramos no filme Beleza Americana, onde o protagonista larga seu belo, estável e respeitável emprego para trabalhar em uma rede de fast food porque ele simplesmente cansou de responsabilidades. Talvez eu vá por esse caminho no momento, já que não quero me envolver em algo que precise dedicação, empenho, amor pela empresa, etc.


Se alguém entrasse na minha cabeça encontraria algo tão confuso, seria como se perder na terra de ninguém. Várias ideias, planos opostos, contradições, letras de músicas, cenas de filmes, tabelas calóricas...
Falando em tabela calórica, não quero nem lembrar quantas calorias tem uma lata de cerveja, porque depois de comer minha salada no jantar, não sei a quantidade de cerveja que bebi.
Acabei contando pra meia dúzia de pessoas traumas de infância que eu não deveria ter contado. Uma delas já sabia, a outra é confiável o suficiente pra saber, quanto às outras, são ótimas pessoas, mas não precisavam saber disso.
Acontece que esses traumas sempre estiveram escondidos, e nunca me espetaram dessa forma porque nunca tive situações envolvendo coisas relacionadas com a situação traumática, agora cheguei em um momento da vida em que coisas acontecem, mas esses traumas parecem me travar demais.

Não aguento mais aquele olhar de reprovação da minha mãe, que diz que tudo que eu faço está errado. Afinal, bobagem por bobagem, ela estava engravidando na minha idade, ao menos eu estou apenas... sendo imbecil.

Foto da menina antes e depois. Inspiradoras, como de costume. 

sábado, 28 de setembro de 2013

Três Pontinhos

Meu sábado está sendo uma bosta.
A única coisa boa até agora foi ter comprado um batom vermelho, e claro, ver as fotos das thinspos mais inspiradoras que existem. Acho muito mais estimulante uma thinspo before/after do que a menina magrinha por natureza.


Ontem saí da dieta, mas emagreci 2 kgs em 4 dias. Agora vou incluir um carboidrato porque me senti muito mal. Então será incluída meia fatia de pão no café da manhã, e um grão (ervilha, milho, arroz, feijão, soja) no almoço. No mais, salada e maça mesmo. Quem sabe uma laranja vez ou outra pra diversificar.

Besos.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Caminhando, dançando, correndo, malhando e seguindo a canção


Enquanto vou bebericando essa xícara e esperando o café fazer seu devido efeito na minha corrente sanguínea, faço uma retrospectiva do que foi a última semana.

Segunda – Comecei a dieta da maçã, alface, tomate e peito de frango. Falhei e comi pipoca. Me pesei e descobri que do mês de julho até segunda engordei 10 kgs. Some isso aos 5 que tinha engordado desde janeiro. Surtei e tive uma overdose de benzodiazepínicos.
Terça – Dormindo o dia inteiro, ainda efeito dos remédios. Minha mãe me arrastou e me fez comer nhoque. Fui vomitar aquela massa toda.
Quarta – 2 maçãs e um café.
Quinta- Fiz a salada com frango, alface, tomate e comi maçãs durante o dia.
Sexta- (hoje, dããã) Me pesei. A balança diz que eu queimei 2,5 kgs, mas eu não consigo acreditar, pois não noto nem 1 gr a menos no meu corpo. De qualquer forma, preciso eliminar 15, então a luta continua.

Aceitei sair com uns amigos amanhã na tentativa de esquecer esse meu lado ruim e chato, onde nem eu mesma me suporto, espero que consiga, pois eles são pessoas ótimas. Porém, talvez eu venha a beber cerveja, mas domingo faço um detox e segunda recomeço outra dieta, dessa vez com algum grão ou farolo (arroz, aveia, lentilha), porque com a dieta que fiz essa semana, fiquei meio fraca, mas também, estou no meu período menstrual ainda.
Gurias que comentam aqui, ou que me ajudam no Facebook, e-mail, telepaticamente, obrigada, de verdade, vocês são mega importantes pra mim!

Todas podemos

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Acordando

1º teve compulsão de pipoca. 2º teve nhoque  que foi parcialmente vomitado. No 3ª  dia "tudo deu certo". Duas maçãs e duas xícaras de café.
Minha visão continua meio turva, mas é que tomei mais um remédio ontem à noite e um para dor hoje de manhã, sem exagero.

Me sinto muito mais eu escrevendo aqui do que no Facebook, onde existe uma alegria tão falsa quanto obrigatória. Então talvez em breve use o Facebook só para atualizar a page.
Estou melhorando. Triste, mas melhorando.
Segue o link para a page que criei no FB sobre transtornos alimentares: 
The Girl With de Thorn - A Outra Face (The Girl In The Thorn in Her Side, como no blog  e como uma versão feminina de uma música que amo, não estava disponível.)


OBS: Obrigada (e desculpa) Ana Paula, Pri Bunny, Camila, Gabs, Lovely, Beatrix e perdão se eu esqueci alguém.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

"Sobrevivi"

Tomei muitos remédios, a maioria deles pra dormir. Confesso que minha visão está meio turva ainda, e a vontade de deitar na cama é maior do que a de ficar aqui escrevendo.
Eu sabia que eu não devia ter subido naquela balança. Ver aqueles números foi pior do que um tapa na cara. Poucas vezes me desesperei tanto, chorei tanto, de raiva, raiva de mim mesma.
Olhando no espelho, levei outra bofetada. Algo em mim dizia que não dava mais, que eu havia chegado ao limite do fracasso.

Já comentei aqui que ontem fizeram dois anos que minha avó morreu né? Queria tanto ela por perto nesse momento. :(

Eu odeio o lado frio da primavera.


Ainda que pretenda excluir o Facebook em breve, fiz uma página sobre transtornos alimentares lá, com nome rebuscado pra não ficar na cara: A Outra Face... Nada original, eu sei.


Sobre meu cardápio de alface, tomate e frango foi o seguinte:



Dia 1- Tudo certo até as 22 hrs, quando comi pipoca.
Dia 2 - Dormindo. Até minha mãe me obrigar a comer um prato de nhoque com carne. Fui direto ao banheiro vomitar. Não vomitei tudo, mas uma boa parte.
Dia 3 - Hoje. Está indo tudo ok. Tenho tomado uma xícara de café por dia dia. Normalmente tomava entre 2 e 4, com alúcar.

E pra finalizar, uma foto inspiradora:


terça-feira, 24 de setembro de 2013

Mudando o rumo da prosa


Me pesei. Entrei em desespero. Um desespero que eu nunca tinha sentido antes, sentei no chão e chorei. 
Hoje aliás, completam-se dois anos da morte da minha avó amada.

Tomei uma porrada de remédios que eu mantinha para serem usados aos poucos se necessários. Tomei basicamente tudo de uma vez. Deixei um bilhete pra minha mãe, tentei ser o mais alegre possível. 

Não foi suficiente (o número de remédios) e acordei com a minha mãe me colocando sentada na cama. Ela perguntou mil vezes se tinha acontecido alguma coisa. Disse que não. Então ela disse que tinha algo horrível para me contar. Perguntei se ela havia sido demitida. Ela disse que não. Respirou fundo e falou que a Joyce tinha morrido. Joyce pra quem não sabe, é a vira-lata de 5  anos que eu vi nascer, e que vinha sentindo um comportamento estranho nos últimos dias. Isolada, brava, triste.

Fui ver o corpinho dele, já gelado, frio, com saliva nos cantos da boca. Ela deve ter sofrido. Tomei mais remédios e dormi.


Não estou com forças para passar em vossos blogs agora, pois tomei mais alguns remédios, mas amanhã eu passo. Tomara que tenha passado também a dor.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

SOS


Já começo esse post com um pedido: Não tenha a mesma ideia. Sou maior de idade, tenho a consciência de que provavelmente perderei muito cabelo devido a isso, terei dores de estômago tão desagradáveis quanto as que tenho quando como demais e sei que isso não vai durar, por isso estou nessa até a próxima sexta-feira, dia 28. Uma dieta de emergência a base de tomate, maçã, alface e frango grelhado. Como estou tentando parar com a carne aos poucos, o frango será só no caso de eu sentir muita fome. 
Eu sei que é como querer eliminar os últimos 3 meses em 5 dias, mas sei que isso é impossível. Só preciso desinchar, preciso ter aquela sensação de espaço vazio no meu estômago de novo.

A calça cinza que eu usei no show do Ozzy Osbourne passa no meu quadril mas os botões não fecham, mas eu estou garantindo uma coisa, irei com essa calça no show do Black Sabbath. Quem “me tem” no Facebook vai me ver usando uma calça jeans cinza no dia 09/10.        


E engana-se quem pensa que esse é um caso de força de vontade. Na verdade, esse é um caso doentio de obsessão e loucura.


sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Sobre Força de Vontade


“Você tem que ter força de vontade...”
Força de vontade é o caralho! Se fosse um caso de força de vontade, bastaria eu me olhar no espelho e pronto, não comeria mais que 300 calorias diárias. Mas não é. Nem quando eu tento fazer uma dieta de 1200 calorias consigo. Chega um momento do dia que eu preciso comer até ter dificuldade para andar, e depois ficar passando mal. Tem dias que eu já acordo assim, bem fissurada em comer. 
Acabo de comer 400gr de doce de leite em menos de dois minutos. And heaven knows I’m miserable now...
“Você precisa procurar um médico.”
Tirando dois caras que me receitaram remédios controlados que não tomo mais, todos os outros profissionais que procurei disseram que eu preciso de que? Força de vontade. Repito: FORÇA DE VONTADE É O CARALHO.
Só tenho uma maldita calça jeans que serve, e está ficando apertada. Se fosse caso de força de vontade, certamente estaria malhando ao invés de estar escrevendo com a barriga cheia de doce de leite. And heaven knows I'm miserable now...

Se alguém tiver fé, peço humildemente que reze por mim, a Marcy do blog, porque eu sinceramente, não consigo nem pensar direito, quanto mais tentar me conectar com um ser superior. And heaven knows I'm miserable now.

Também estou entrando na TPM, o que não é desculpa para comer, do contrário estaria de TPM há 3 meses, mas certamente é responsável pela raiva constante e pela choradeira em um episódio de House.

Estou desde abril ou maio com o ingresso em mãos para o show do Black Sabbath que ocorre no próximo dia 09, e vou te dizer, a ideia de desistir de ir e dar o ingresso de presente pra alguém, ou guardar como lembrança de um fracasso é grande demais. Mas me empenharei para ir e me divertir, o que será a parte mais difícil, porque estou numas que nem eu me suporto direito.


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Verdades

Depois de vááááárias ligações da minha madrinha perguntando se eu já estava trabalhando, enchi meu saco e refleti sobre o assunto e a verdade é que já consegui a proeza de recusar dois empregos e quer saber? No momento não quero trabalhar e o fato de ficar indo em entrevistas sem vontade está me maltratando de alguma forma, preciso desligar o plug da tomada e esquecer das coisas, esquecer da (falta de) vida, arrumar os cômodos da casa e os cômodos da minha mente, do meu espírito.

Estou com a expressão cansada, olheiras imensas, acne (coisa que nunca tive) aos 22 anos, dores de estômago napoleônicas. Conversei com a minha mãe e ela disse, mais uma vez, que estamos ok, que eu posso ficar um tempo na minha. E na real, quando a minha mãe fez a maior besteira da vida dela, financeiramente falando, no ano passado, eu estava lá com meu salário fazendo as compras do mês no mercado, e de alguma forma, sei que ela se reestabeleceu com a minha ajuda e hoje é ela quem pode me ajudar. Minha nano-família pode ser estranha, mas é unida.

Decidi sair um pouco de cena, pois ultimamente todo tipo de conselho tem me magoado pra caramba, e eu sei que são pessoas amigas tentando me ajudar, mas com exceção desse blog, das conversas esporádicas com a Lovely e com meu melhor amigo, todas as outras coisas que ouço parecem carregadas demais de julgamentos e na verdade, vocês sabem muito bem disso, só a gente, e muitas vezes nem a gente sabe o que se passa na nossa mente. Cansei de ouvir coisas como “aos 22 fulana estava se formando”, “com 22 eu já sabia o que queria”, “nossa, você é viciada em boletas, toma vergonha na cara”, “Você está muito isolada”... as pessoas não seguem um padrão, poxa. É isso, até breve.

No tópico remédios/boletas, vale lembrar, e não que isso justifique, que a primeira vez que tomei remédios controlados foi aos 13 anos sob as ordens e cuidados de um médico endocrinologista. Não foi um oba oba aos 18 não, e não foi por conta própria. A segunda vez foi aos 16, vários remédios controlados receitados por um psiquiatra, então queria dizer para as pessoas que não tem acesso à esta merda de blog que não, não é tão fácil assim depois que a bosta do teu organismo se acostuma e tu passa a ter tremores quando fica sem remédio. O processo de limpeza envolve tremores, suadores, ganho ou perda de peso (no meu caso ganho, é óbvio), distúrbios do sono e sim, o fato de querer se isolar um pouco. E NÃO, eu não estou tomando nenhum remédio no momento, mas tomei muito café antes de escrever esse post.


"Feliz é o destino da inocente vestal!
Esquecendo o mundo,
e sendo por ele esquecida.
Brilho eterno de uma
mente sem lembranças.
Toda prece é ouvida,
toda graça se alcança."