quarta-feira, 25 de setembro de 2013

"Sobrevivi"

Tomei muitos remédios, a maioria deles pra dormir. Confesso que minha visão está meio turva ainda, e a vontade de deitar na cama é maior do que a de ficar aqui escrevendo.
Eu sabia que eu não devia ter subido naquela balança. Ver aqueles números foi pior do que um tapa na cara. Poucas vezes me desesperei tanto, chorei tanto, de raiva, raiva de mim mesma.
Olhando no espelho, levei outra bofetada. Algo em mim dizia que não dava mais, que eu havia chegado ao limite do fracasso.

Já comentei aqui que ontem fizeram dois anos que minha avó morreu né? Queria tanto ela por perto nesse momento. :(

Eu odeio o lado frio da primavera.


Ainda que pretenda excluir o Facebook em breve, fiz uma página sobre transtornos alimentares lá, com nome rebuscado pra não ficar na cara: A Outra Face... Nada original, eu sei.


Sobre meu cardápio de alface, tomate e frango foi o seguinte:



Dia 1- Tudo certo até as 22 hrs, quando comi pipoca.
Dia 2 - Dormindo. Até minha mãe me obrigar a comer um prato de nhoque com carne. Fui direto ao banheiro vomitar. Não vomitei tudo, mas uma boa parte.
Dia 3 - Hoje. Está indo tudo ok. Tenho tomado uma xícara de café por dia dia. Normalmente tomava entre 2 e 4, com alúcar.

E pra finalizar, uma foto inspiradora:


4 comentários:

Priscila Boltão disse...

Marcy... vc tá melhor?
Eu e a Ana estamos aqui trocando emails meio desesperados.
Exclui facebook não que é sempre bom pra eu "checar" como vc está.
Eu sei q a gente não se fala muito, mas to muito preocupada aqui. E acho que nem tenho moral pra falar porque o número de vezes que escrevi "i hate myself and want to die" essa semana só não tá no gibi. Mas por favor, eu não quero isso pra vc, nem pra ngm. Vc merece mais q isso, vc não é a droga do número da balança, vc não é o que o espelho te diz. Vc é a pessoa por trás das palavras nesse blog, e as palavras significam mais do que a imagem e os números (ao contrário do que dizem os ditados). Refuse to give in, ok?
Stay strong. Vc pode.

Ana disse...

Marcy, meu anjo. Estou o dia inteiro desde que li isso tentando achar as palavras certas pra te falar, mas não existem. A coisa que eu mais queria nesse mundo é entrar no primeiro avião pra sua cidade, ficar com vc, te por no meu colo, te abraçar. Eu sei o quanto vc está desesperada e como está sofrendo. Mas as coisas não precisam acabar dessa maneira. Vc não consegue enxergar o que eu vejo - uma menina incrível, esperta, inteligente, carismática e LINDA. LINDA SIM. Seu sorriso é um dos mais belos que eu já vi embora por trás dele exista tanta dor. Sei que parece hipócrita vindo de mim, que estou na internet ha tantos anos tentando emagrecer, mas isso que o visor da balança mostra é apenas um indicativo.
Nao importa qual seja esse numero, ele não mostra o quanto vc é especial. Não mostra o quanto nós, suas amigas, te amamos. Não mostra o potencial que vc tem pra realizar grandes coisas nessa vida e a diferença que vc faz na vida de quem tem a oportunidade de conhecer vc. Pq é verdade, vc faz diferença. E vc importa de maneira que um NUMERO nao é capaz de definir, de limitar. VC é especial pra nós e meu amor, meu carinho e minha amizade seriam exatamente os mesmos se vc pesasse 3x mais ou que fosse verde com bolinhas azuis.Pq antes de conhecer seu peso, ver fotos, ouvir sua voz ao telefone, antes disso tudo eu conheci a MARCY e eu sempre senti que era uma pessoa que eu gostaria de ter em minha vida.
é uma pena que vc não consiga ver isso. é por isso que seu peso te afeta dessa maneira.
VC sabe Marcy, vc tem um TA e é ele que te faz sentir dessa maneira a respeito do próprio corpo. O que ha por trás disso? A raiz de seu sofrimento não é somente seu peso.

vc esta em uma fase dificil. Acontecendo tudo ao mesmo tempo. As lembranças da sua avó, a coisa toda de procurar emprego, dividas e etc te fizeram chegar no limite, mas de novo, nao precisa acabar dessa maneira. As coisas passam, Marcy. O tempo cura tudo. Eu sei que nao conforta, mas nada dura pra sempre, o sofrimento tb nao. A gente tem altos e baixos na vida. Essa fase baixa ta bem baixa mesmo, mas de tempo ao tempo, de a si mesma uma chance. Vc falou que eu ainda tenho chances. O que leva vc a crer que nao tem as mesmas chances que eu?

eu realmente sinto mt pela joyce. Conheço essa dor, e inevitavel. a gente fica de luto. Chore o que tiver que chorar, mas se recorde dos momentos bons que vc teve com ela em vez de se apegar a falta que ela faz. eh coisa da vida, infelizmente os cachorros nao sao eternos.

sei que vc sente que tudo esta errado, sente que fez pessimas escolhAS e que nada vai se resolver. Algumas coisas passam mais rapido que outras, e um dia vc vai olhar pra tras e vai sentir que superou. E tudo e aprendizado.

Vc nao esta sozinha.

te amo, muito, muito mesmo.
Um beijo amiga

Ana Paula

Lovely disse...

Oi Marcy!
Pois é... Intoxicação medicamentosa é foda. Eu me entupi de remédios dia 11 (até sei o dia do trauma :P) e estou "meio" fodida até agora, porque não posso parar com os medicamentos que eu realmente preciso tomar todos os dias. Mas já melhorei muito, ainda bem. O jeito mesmo é ter paciência e beber muita água para eliminar isso o quanto antes - coisa que eu esqueço de fazer! Affe!

Infelizmente, compreendo o desespero. Tive o meu primeiro ataque de pânico depois de vestir uma calça jeans para ir no psiquiatra (porque eu não podia sair com a calça do pijama, né? rs). Pior é que parece brincadeira... Mas não é, não :/

Melhoras, querida amiga.
Se precisar de alguma coisa, não hesite em dar um berro, ok? Estou aqui!
Beijinhos.

Beatrix disse...

Eu me preocupei muito com você, por conta desses remédios, mas imaginei isso também de se pesar, aconteceu o mesmo comigo há quase dois anos, quando cheguei no meu peso máximo, de 82 kg. Queria morrer, me isolei, comi o mundo, enfim.... Essa dor que senti naquele momento me fez ver que eu mesma tinha me jogado no buraco que eu estava, e que ninguém ia me tirar de lá, além de eu mesma.

Não que tenha sido a perfeição, mas aprendi, mesmo com poucos quilos perdidos, que o meu destino está nas minhas mãos, e cabe a mim mesma, fazer com que ele seja um conto feliz ou uma tragédia sem fim...

Sinto muito pela sua avó, o dia, vendo vc falar vejo o quando vcs são próximas, e ela faria muito a diferença se estivesse aí, mas quer saber? Se te confortar, converse com ela, não com a "alma" dela, mas quando estiver sozinha, finja que ela está lá, desabafe e connte seus problemas, pode parecer idiotice, mas acredite, alivia muito.