quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Degringolando


Não sei como iniciar este post. Já comecei a escrever e apaguei algumas vezes, nada parece fazer sentido, em todos os âmbitos da minha vida. Eu sei que provavelmente é mais um momento, como muitos que virão.

No quesito alimentação degringolei total. Em uma semana devo ter engordado uns 2 kgs, mas perdi a coragem de subir na balança, porque da última vez houve um exagero na ingestão de remédios por minha parte.
No quesito estupidez, uma tia minha veio aqui em casa falar com a minha mãe por uma coisa que eu escrevi no MEU MURAL do Facebook. A brincadeira perdeu a graça. A minha mãe estava dormindo ferrada e não acordou, eu tomei todo cuidado para não fazer qualquer barulho, pois sabia que ela tinha vindo falar com a minha mãe por minha causa, já que ela me deixou uma mensagem na rede social.
No quesito trabalho não deu. Tive um faniquito e não fui mais. Por sorte, não chegaram a assinar minha carteira. No dia seguinte outra empresa me chamou para uma entrevista (quem tem experiência no comércio fica sem trabalhar só se quiser). Cheguei na porta e comecei a me sentir mal, então saí de lá e voltei pra casa, me sentindo completamente derrotada.  Isso estaria ligado ao fato de que eu estou ficando sem remédios? Não sei. Não quero ser uma viciada para o resto da vida...


Me sinto desprezível e desprezada, antes por mim do que por qualquer outra pessoa.

10 comentários:

J. Noni disse...

Força Marcy.

Beatrix disse...

Justamente o contrário, os remédios te davam a falsa sensação de força, mas uma hora isso ten que acabar, daí de onde tiramos as forças??? Se estamos tão acostumados e submissos a eles... Remédios são apenas ativadores de partes do nosso cérebro, mas depois demes é necessário reaprender a ativar essas partes sozinha ;)

Sério, fiquei muito curiosa com o que vc escreveu pra dar isso tudo!

Ana Butterfly disse...

Olá Marcy!
Também fiquei curiosa sobre o que escreveu, se puder nos conte.
Acho melhor que não se pese mesmo, dê um tempo e depois pense sobre isso.
Quanto ao trabalho, sinto muito :/
Mas acho que foi melhor cair fora mesmo, no fim das contas situações assim só nos fazem mal mesmo. Ao menos você já trabalhou, tem alguma experiência, eu nem isso tenho, sabe?
Entendo o que diz sobre os remédios. Eu estava tomando fluoxetina, pra mim estava sendo ótimo, senti melhora na primeira semana já, no entanto decidi dar um tempo e ver se consigo me manter sem o remédio. De cara foi difícil, sabe quando você não tem energia e ânimo nem para o mais básico? Me senti assim.
Oh, enfim. Eu espero que fique tudo bem contigo, que essa fase complicada passe.
Beijos, cuide-se!

Cecilia Ana disse...

Boa tarde!
Procure um emprego que goste do que esteja fazendo. Comércio não é tão legal assim :/
E manda tua tia caçar o que fazer. rs Brincadeira, mas espero que as coisas melhorem pra ti!
Obrigada pelo comentário.
Volte sempre!

Bárbara Ana disse...

Oeee
As fases malditas, as malditas fases.
Eu nem to procurando nada, não tenho capacidade de sair de casa e não vou me forçar, que se fodam todos.
Sua tia é meio louca, hein?
Beijos e se precisar, estamos aqui.
Melhoras.. o/

Dom R disse...

Exagerar nos remédios é a minha cara... Qualquer um eu tomo. E os que eu já conheço, tomo em grande quantidade, as vezes.
Enfim, que tia dos infernos essa a tua, hein. Por isso não tenho parentes no fb, cruzes.

Lovely disse...

Oi Marcy!
Acabei de perguntar sobre o emprego no face... Ignore. Não havia lido o post ainda :(
Eu compreendo. Fui para uma entrevista de emprego essa semana e ao chegar no local, quase tive um troço. Nisso, percebi que não estou pronta. Não, no momento. Se bem que a entrevista foi um fiasco, de qualquer forma.

Me encontro numa situação muito parecida com a sua, por isso demorei a aparecer por aqui. Não sei direito o que dizer, porque as coisas estão meio fora de ordem na minha cabeça, de modo que nada faz muito sentido.

Quanto aos medicamentos. A interrupção pode ser o problema, sim. Mas isso varia de pessoa para pessoa. Já conheci gente que largou todos os medicamentos e não teve problema algum. Infelizmente esse não é o meu caso. Realmente, é muito triste saber que, provavelmente, vou ter que tomá-los para o resto da vida :/ Mas, fazer o que.

Beijinhos.
Espero que fique bem em breve.

Ludvika disse...

Uia Sid '-'
As meninas têm razão, você precisa se libertar dos remédios. É um processo longo, mas vai por mim, muito pior é ser dependente. Quanto à sua tia, wtf, sua vida não é da conta dela. Minha tia e minha mãe às vezes fazem complô contra mim, eu simplesmente ignoro as duas.

(●•Lia•●) disse...

Marcy.... resumãooo, já que li seu post anterior agora! Falta de tempo, mesmo! Valeu pelas dicas dadas viu?!

Que imprudência? Mas atire a primeira pedra quem já não fez!? As vezes fazemos loucuras e mais loucuras e assim segue a vida e assim aprendemos! E segue! Ainda bem que foi ao show curtiu a metade e tirou alguma lição! Tá bom!

Sobre o atual, emprego é assim mesmo, principalmente no comercio, como vc disse, só fica desemprega quem quer! Mas se não é para ser, que se dane-se! Ah vá! Vamos atrás de outros e assim seguindo a vida!

Parentes quando não é amigos intrometidos, quando o orkut bombava, eu tinha, escrevi algo que fez uma amiga " pra frente" parar minha querida mãe, na rua e pergunta se estava acontecendo algo comigo! Pode uma coisa dessa?! Minha me liga perguntando e depois pessoalmente dar-me vários sermões... putz! Que vontade de pega essa "amiga da onça"! Que merda viu!?

Olha, amiga, faz bem querer se livar dos remédios, mas eu não quero livrar-me dos meus, digo, já livrei-me bastante de alguns que já tomava, mais agora sinto-me melhor, mais tranquila, e posso seguir minha vida mais tranquila, não tem cura, mais é 80% da minha melhora, vc sabe que quando eu quis parar, tive uma crise brava, fui para no hospital sem noção, e acordei depois de 03 dias sem noção de nada... depois de 02 ou 03 injeções e remédios na veia, não lembro direito.
Infelizmente para o meu transtorno não é tão fácil assim, bem que eu queria parar, não queria mais... só sei... que como essa brincadeira deu eu por contar própria de querer parar, criei outro problema, que foi desenvolvido a pressão alto em mim, acho que já estava quase lá... só acelerei né!?

Mas incentivo que quer, pode, e consegue, pare mesmo!

J.S disse...

aii q historia foi essa do facebook? tou curiosa agr ahaha
J.S