quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Um novo caminho no meio do labirinto (???)

Os últimos dias foram de recaídas e auto-sabotagem (que se dane a nova gramática).
Mas hoje acordei melhor, apesar dos diversos pesadelos. Agora se vocês me permitem, vou voltar a fita para cerca de um ano atrás...

Tive uma criação católica. Minha avó, antes de me colocar na cama, rezava a oração pro Anjo da Guarda comigo. Minha mãe, quando estava em casa, rezava um pouco e conversava comigo até eu pegar no sono, e no dia em que eu disse que achava que odiava meu pai por todas as colegas da escola terem um, menos eu, ela me lembrou daquele trecho: “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido.” E que se ele cometeu erros que o afastaram de mim, eu não tinha o direito de julgá-lo. Ok...
Minha mãe foi para um lado mais espírita, que aliás, se assemelha muito ao catolicismo, eu, virei uma dessas pessoas que acredita em tudo, mas minha vó morreu com um terço nas mãos. E sempre dizia que rezava por mim, e no nosso último encontro, nunca vou me esquecer do que ela disse.

Tenho duas freiras na família. E minha tia tem uma amiga freira, e recebeu a visita dela há um ano mais ou menos. Fiquei encantada com as histórias. Anunciei para os meus amigos que estava pensando em ir para um convento, mas terminei bêbada demais naquela noite pra acreditar em mim mesma. Etc, etc, etc.

De volta ao presente, me sinto sem serventia aqui nessa casa. Me sinto, de alguma forma, abandonada por mim, a procura de um caminho, em um labirinto, sem saída. Eis que a minha madrinha me mandou um livro, como todo final de ano ela manda, e nele tem um folder de um grupo ou congregação de irmãs. Entrei em contato com elas, ainda não obtive resposta. Mas acho que se for pra ser, será.


O fato é que não aguento mais conviver com derrotas, com o vazio, com o nada. Vou me salvar, eu juro que vou sair dessa, porque eu me amo, e não vim aqui pra ficar a toa não. E lembrando também que mandar um e-mail para as Freiras não quer dizer de fato, que você vá entrar lá e fazer os votos de cara. Há todo um processo de conhecimento do local, dos hábitos delas, etc. É apenas uma possibilidade, nada mais do que isso.

Por outro lado, tem a minha mãe, que parece não conseguir ficar sozinha. Mas às vezes, sinceramente, penso que é a minha presença que atrapalha.

17 comentários:

Rebeca e Ana Mia disse...

Estudei minha vida toda em escola catolica e dentro da escola tinha um outro prédio que era o convento das madres (só para meninas ) Eu queria ser freira mas não tenho vocação tem coisas nessa vida que eu não abriria mão eu acho. O que me ajudou a me encontrar mais, a dar um sentido na minha vida, a me sentir util foi ser voluntária em um projeto que acolhi crianças carentes, eu faço atividades com elas tipo pintar, tocar, jogar bola não é religioso até porque tenho muitas duvidas sobre isso mas é realmente gratificante até para quem não tem tempo há meios de ajudar um dia, isso pelo menos me ajudou.

(●•Lia•●) disse...

Sempre temos que buscar o nosso lado espiritual independente de credo! Digo de religião. Temos que ter mente aberta para conhecer, entender e julgarmos por nós mesmas o que consideramos errados para nossos conceitos morais! As pessoas, digo nós, porque não sou melhor que ninguém, tenho minhas falhas e faço as vezes meus pré- julgamentos, que em partes não gostaria, mais quando vejo, já o fiz! Mas sempre tento corrigir e não comete-los novamente! Não sou tão hipócrita de disse que não faço!

Todos nós temos sim, salvação, todos nós temos o direito de escolher o que seguir em questão espiritual, isto é particular. Mas acho que devemos ter a mente aberta para analisarmos a todas, digo sem preconceito, pois as vezes caímos naquele vejo laço, fulando falo que.... não é bom tal lugar, que não é verdade o que falam lá... que lá tem coisas secretas, mas será que a pessoa deu a chance de conhecer?!

Vc tem esse direito sim Marcy!
Acho que se deseja isto no momento faça! Acho que vale apenas! Aqui amiga... manda novamente seu endereço com CEP viu, para o meu email, para que eu post o livro que te falei no começo do ano?

O que eu estou guardando para vc! Já enviei alguns. E uns foram bens aceitos, digo, as meninas gostaram outra nem tantos. Mas o mais legal disso tudo, que foram sinceras comigo! De forma educada expressaram que não gostaram. Que passaria para frente. Acho mais que justo né?!

Livro tem que circular mesmo, principalmente quando não nos identificamos muito! Porque sempre tem outras pessoas que se identificam!

Marcy muito obrigada pelo seu carinho e atenção de sempre linda!

É tãooo bom ter vc aqui... uma das antigasssssssssssss que permanece!!

Feliz ²

Beijocas!
Lia*
DDD*

Janna disse...

Marcy, meu amor.. mandarei meu endereço quando entrar no meu email! aquilo anda tão bagunçado que tenho preguiça dele! hsauhsau.. mas entrarei esses dias só por você! *o*

Olha, eu acho que tudo tem um por quê e um motivo. Não acho que seja um caminho ruim.. conhecer a face de Deus, seja pelo caminho que for, é uma experiência sem igual.
Acho que em tudo você tem que pensar em você.
Se é o que teu coração tá pedindo, eu apoio. Mas sentirei saudade de você por aqui!
Será que pode usar a internet no convento?
Ainda não me acostumei com a idéia (também odeio a nova regra), mas se você for ficar feliz, ficarei tbm.
Trocar cartas eu sei que poderemos! ♥

Qualquer coisa estou aqui, tá?
Cheirinho, minha pequena

Brittany disse...

Sim, eu me encontro demais em algumas letras do the smiths.
Mas era realmente isso que eu queria, não quero um grupo pro ao TA.
Bom saber que você esta melhor e procurando por um caminho que te faça bem!
Beijos

Nic Summers disse...

Sabe, o caminho de Deus faz muito bem. Em 2009 eu já era depressiva e amargurada com a vida, só ainda não tinha descoberto o TA, uma colega de aula me convidou para o grupo jovem da igreja de meu bairro e foi uma das melhores coisas que já fiz. Era muito bom lá, tive amigos de verdade, que não julgavam o que você é e as coisas que escolhe, apenas fazem o melhor para você se recuperar.
Infelizmente minha família mudou para um bairro mais distante daquela igreja e nunca mais fui. =/ Honestamente, não sei se estaria na situação que estou hoje se continuasse indo lá.
Flor, boa sorte no caminho que escolher, estou torcendo para seu sucesso! Força

Jacky Secrets disse...

também me encontro sem rumo se tratando de religião, fui criada numa igreja evangélica, mais não me considero uma, ainda busco minha identidade espiritual. Como você disse "se for pra ser será", espero que você encontre esse caminho que você busca e que a partir dai as coisas possam fazer sentido na sua vida. Você é uma pessoa especial e merece o melhor!
Stay Strong!

xoxo

Ludvika disse...

Eu entendo que encontrar uma paz espiritual seria ótimo para você, mas não consigo te ver como freira, não pelos hábitos, mas por ter de haver uma identificação tão profunda com os dogmas católicos - se bem que a Igreja hoje não é mais como era no tempo de nossas avós. Bem, conhecer mais a respeito não vai fazer mal.

Bruxa do 203 disse...

A única maneira de descobrir o que queremos é assim mesmo, aprendendo, descobrindo, com a mente aberta a todas as possibilidades.

ka Lima disse...

OI Marcy!!!
Se for pra vc achar a sua paz interior, mergulhe na sua espiritualidade e encontre uma nova face sua, antes desconhecida. Se vc se sentir melhor, bom, se não, foi uma experiência válida e edificante, na jornada do autoconhecimento não tem certo e errado, cada experiência é única e complementar.
Bjus!!!

J.S disse...

Nossa essa memoria da sua avó ficou guardada ne?!
deve ser pertubador, estranho e bom ao mesmo tempo...
Me sinto como voce tbm :/
Se é o que vc quer, espero q consiga, espero q seja mesmo isso q vc queira..
Boa Sorte
J.S

Veronica Sawyer disse...

Você me surpreendeu, agora. hahah
Olha, se tiver de ser, será. Já pensei em entrar pra um convento, mas acho que não conseguiria lidar com a estrutura do local etc. Mas, como você disse, não precisará fazer votos logo de cara, Pode servir pra ti como um retiro, um momento para ficar em paz consigo mesma e em contato com Deus.
Boa sorte, Marcy!

Veronica Sawyer disse...

Você me surpreendeu, agora. hahah
Olha, se tiver de ser, será. Já pensei em entrar pra um convento, mas acho que não conseguiria lidar com a estrutura do local etc. Mas, como você disse, não precisará fazer votos logo de cara, Pode servir pra ti como um retiro, um momento para ficar em paz consigo mesma e em contato com Deus.
Boa sorte, Marcy!

Bárbara Ana disse...

Hey Marcy!
Já pensei muito nisso, mas são dois lados que brigam em mim. Alé do mais, pessoas tatuadas não podem ser freiras, eu acho. Sabe algo sobre isso?
O fato é que eu ia viver cercada de mulheres e beber o vinho do padre. Mas realmente, esse vazio e falta de propósito na vida, enchem o saco.
Fiquei curiosa sobre o que aconteceu depois desse post. Me conta?
Beijos!

Anitta Valentine disse...

OLÁ AMORE, FUI CRIADA NA RELIGIÃO PROTESTANTE(NÃO PRATICO ATUALMENTE NENHUMA RELIGIÃO ) MAS, NADA CONTRA A CATÓLICA, SÓ PENCO QUE ESSE TIPO DE DECISÃO DEVE SER TOMADA DEPOIS DE BASTANTE REFLEXÃO POIS É ALGO ALÉM DE RELIGIÃO É VOCAÇÃO!!!

Luiza Marchi disse...

Cresci numa família católica também, tenho uma tia freira e eu tinha tanto amor e carinho por ela, que dizia, quando criança, que queria virar freira também. O tempo passou, e meu interesse por história aumentou, e eu comecei a ter outra perspectiva em relação á igreja. Sempre idolatrei muito, e levava a sério aquilo de "amar á Deus sobre todas as coisas". Comecei a entender mais que a igreja não era tão santíssima como pregava ser, procurei outras religiões e não me adaptei em nenhuma. Depois disso, adotei algumas filosofias, como a budista e similares. Mas perdi a fé, depois de ler Nietzsche e filosofia, não consegui mais encontrar um "Deus", não como as igrejas dizem que existem. Talvez exista sim algo maior, onipresente e onipotente, mas não acredito em nada que essas grandes instituições fajutas, manipuladoras e capitalistas dizem por aí.
Por outro lado, me sinto vazia por não acreditar em nada, quando estou triste, me sinto impotente, sem ter á quê recorrer, antes era mais fácil e cômodo, rezava, pedia proteção e me consolava dizendo "Deus quis assim". Mas prefiro meu vazio do que o comodismo de aceitar as coisas da vida por acreditar que foi feita a vontade de Deus. Prefiro ter minhas próprias vontades e lutar, mesmo que as vezes sem forças, para mudar alguma realidade. É duro, é sofrido, doí... mas eu prefiro assim.

E se toda essa história te agrega, se vc se sente feliz com essa alternativa, você tem meu apoio incondicional. Só quis te contar um pouco do que penso.
beijoo, se cuida, e espero que você encontre paz e tranquilidade consigo mesma, independente qual for o caminho.

Anita Perfeita disse...

Oi Marcy!

Amiga eu costumo brincar que religião é igual calcinha e cueca cada um tem a sua!

Falando sério olha eu tive a oportunidade de estudar em 3 colégios conventos,fiz catequese,e não fiz primeira comunhão pq minha mãe não me batizou.Conheci a religião espírita e comprei um Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec por 6 reais na feira do livro espírita em uma praça,resumindo ameio o livro explica a base das frustraçãoes do ser humano,Fui obrigada a frenquentar igreja evangélica pela minha mãe mas nunca gostei ,conheci Seicho-no-ie com o meu marido e leio A Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade e os livros da verdade adorooooooo fazer meditação(sni.org.br para conhecer e ver livros)!

Pra falar a verdade aprendi que a religião é um detalhe para expressar a fé, e que Deus está presente dentro de cada pessoa,e que não importa qual é a sua crença,não importa onde vc está agora,pode falar com Deus sempre que vc desejar porque ele habita em você o tempo inteiro.

Melhor do que ter um pai de carne(eu também não tive pai)é saber que temos um pai eterno generoso que independentemente de sermos grandes sempre vai nos acolher nos seus braços!

Boa sorte e sucesso ^^

Anita Perfeita disse...

Ah esqueci de dizer que não tem nenhuma freira,nem padre,nem pastor,nem preletor na minha família,tem um exu que é a minha mãe e tem um bocado de ovelha negra.
Deve ser por isso que Anita é assim DEVASSA!

HAHAHAHAHAHAHA!