quarta-feira, 12 de março de 2014

"Agora mesmo te olhando me veio um refluxo..."

"Mas já desceu"


Pois é, o post passado nada mais é do que... passado. Sempre disseram que nunca levou um par de chifres um dia leva. Posso me considerar isenta agora? O triste foi perder um amigo, mas na verdade essa história nunca deveria ter começado, e agora, acabou.

Não sei se é a minha má alimentação, o excesso de medicamentos ou o quê, mas estou com sérios problemas pra enxergar. Quando criança eu tinha um grau baixíssimo de estrabismo, então as letras embaralhavam. Usei óculos por alguns anos, mas depois parei. Nunca houve problemas. Agora porém, além das letras embaralharem, coloco zoom no Chrome de 150% pra enxergar com tranquilidade. Com 125% fica mais ou menos. Sei que preciso procurar um oftalmologista e em seguida um neurologista, mas tudo isso demanda dinheiro, e eu estou de mudança, minha mãe de deu um vestido de R$300,00 para eu ir em uma festa dia 22 e disse que vai marcar psiquiatra, e eu aqui, desempregada. Bacana não?
Procurar emprego só se for usando manga comprida, com todos os cortes que eu, em um momento de surto fiz no meu braço. Então o que posso e o que vou fazer é dar tempo ao tempo. Minha grande meta de correr a Corrida de São Silvestre no final do ano parece estar caindo por terra, pois bêbada, torci feio o pé, parecia só uma luxação, mas uma semana e um dia depois, tá doendo demais ainda, não consigo pisar no chão direito...  mas não deixarei de ir à São Paulo em Dezembro. Troquei todas as minhas mágoas natalinas por mágoas carnavalescas.



Até a próxima!

quarta-feira, 5 de março de 2014

Like a piece of shit. Odeio Carnaval.


Éramos amigos mas sentíamos um clima, ambos. Eu e ele. Fomos em uma festa, mas antes de irmos fizemos uma promessa, a pedido dele: “Não vamos nos separar na festa, vamos juntos.” Vai uma cerveja, vai outra, vai um combo. Dançamos. Uma menina me chama para dançar aí eu danço sem maldade com ela, ele me puxa, e me diz que ela é nojenta, porque é lésbica e estava com segundas intenções. Ela não era lésbica, mas se fosse, tudo bem. Sentamos na varanda onde não tinha ninguém, acabamos ficando. E conversamos muito. Ele me confessou que gostava de mim, combinamos que a amizade não mudaria depois da festa, e ele também confessou que não sabia se era bi ou hétero, mas naquela noite, ele estava comigo.
Uma hora depois ele beijou o amigo que me convidou pra ir pra festa. Acabei fazendo a criança brava, bati nele, mas depois fizemos as pazes. Fomos dormir pra esperar o dia amanhecer e ir embora. Quando acordamos, ele não estava mais falando comigo, segundo ele, porque eu fui infantil e bati nele. Pedi desculpas, mais de uma vez, ele apenas virou o rosto pra mim.


Resumo: Estou me sentindo um lixo, barato, ordinário e descartável.