quinta-feira, 1 de maio de 2014

Na sala do psiquiatra...

De alguma maneira cheguei em um nível de esgotamento que me levou, depois de seis anos, a voltar para a sala de um psiquiatra.
Nada relacionado aos últimos dois posts, isso se tornou tão insignificante... o que mais tem me machucado é ver minha mãe mal... acho que fui nessa consulta pra ficar mais forte pra poder dar mais apoio pra ela. Ela passou mais uma noite na emergência  do hospital.
Cheguei em um ponto onde dificilmente consigo sair se casa, deixei o desânimo tomar conta de mim e... sei lá, ainda não mudei esse cenário totalmente.

Ao contrário do que possa parecer, não quero morrer, não pretendo me matar, pelo contrário, quero sair dessa condição de sub-vida.

O resultado? Tratamento com Carbonato de Lítio e a recomendação para fazer terapia, que foi gentilmente recusada no momento. No momento.

Não estou esperando grande coisa  disso tudo, nem estou jogando tudo pro alto. Dei o primeiro passo...


19 comentários:

Ana Alves disse...

Oi Marcy!
Sinceramente nem sei o que te dizer... Eu não estou num momento muito bom também, e não consigo pensar em nada produtivo pra te dizer.
Só espero que tudo se acerte, de verdade.

Larissa M. disse...

Oh, minha querida ): Tem um tempão que não passo por aqui, e não consigo te explicar o quão triste fico em saber que você não está legal. Eu desejo toda força e positividade pra sua mãe! Espero, de coração, que ela saia dessa logo.
E sobre você, é claro que desejo tudo em dobro ): Sei bem como é carregar essa nuvem pesada e negra sobre a cabeça, mas eu também sei que você é muito, muito forte.
Talvez você precise desse momento pra se aliviar, muita coisa tem acontecido e você anda carregando tudo sozinha.
Mas não desanima, certo? As coisas vão dar certo logo!

Yara disse...

Sinto muito pela situação com sua mãe. Espero, de coração, que ambas fiquem bem.
E o que mais dzer? Vc está certíssima, tem que se cuidar pra ajudar quem vc ama e precisa de você. Na hora que a coisa aperta a gente tem queser coerente.
Força, querida. Precisando é só pedir ajuda, tá?
beijao
FORÇA E CONTROLE

Anita Perfeita disse...

Oi Marcy!

Sobre a Bia acho que esse negócio dela fechar o blog deixou todos que gostam dela com um sentimento de ter feito algo errado, até eu sinto-me culpada,nem sei por que nem por onde.

Ver a sua mãe doente é algo que dói demais no seu coração, entendo que vc se sente pressionada por si mesma para fazer o melhor por ela e este estresse constante te deixou desmontada,pra juntar os cacos um psiquiátra pode ser útil,ao menos para organizar a mente.

Infelizmente tenho longa experiência na desgraça de querer ficar em casa por muito e muito tempo.A notícia ruim é que isso só piora com o tempo,e a boa é que vc não vai chegar ao meu ponto pq já procurou alguma ajuda.

Desejo melhoras para sua mãe :)

beijinhos e sucesso ^^

(●•Lia•●) disse...

O primeiro passo é o mais importante que vc já fez, ir ao psiquiatra. Não podemos mesmo por todas nossas esperanças eu um único local. Mas ao mesmo tempo temos que ter foco que algo seja positivo para que possamos ajudar quem mais precisa de nós no momento!

Eu entendo muito bem vc. Vc quer ficar mais forte para ajudar sua mãe. Como vc já sabe um pouco da minha história, eu passei anos convivendo com a bipolaridade da minha mãe, que nem todos sabia e nem queria saber, eu sempre era mais forte do que eu, eu sempre a ajudei em momentos de crises, em momentos que eu ainda nem sabia o que era realmente. Com o tempo consegui ser forte, na medida do possível, tinha épocas que cai... mas sabia que tinha que levanta rapidamente, pois tinha uma pessoa importante na minha vida que precisava de mim.... assim foi até sua morte. Hoje sou pior que tudo... simplesmente as vezes sou um rosto atrás de uma mascara... sorrindo a todos... mais no fundo a dor é insuportável, nem os remédios e a terapia, que eu recusei tb, ira me fazer melhor. Os remédios ajuda e muito... pois sem eles sei que estaria pior... mas não me cura, dessa bendita vontade de não fazer nada, dessa vontade de ficar isolada, de fica ali parada, fazer as coisas no automático e todos acharem : "Nossa como a Lia* é feliz!!" Nas fotos é fácil, nos momentos de lucidez dou-me esse luxo... e aos que gostam de mim como meu esposo que sempre faz de tudo para me ver bem!

Marcy, sinto muitíssimo pela sua mãe, queria pode de alguma força ajudar, mais estamos tão longe fisicamente... pelo menos dar meu ombro amigo e ficar horas e horas calada com vc ou simplesmente te ouvir falar falar falar... as vezes somente queremos falar, sem precisar de um parece "medico"... somente falar... desabafar... dizer algo que está na garganta apertando mais não tem ninguém para ouvir, sem não vai nos chamar de loucas, dramáticas, e ainda vamos ouvir a frase: "Para de show!"

É muito complicado....quero dizer que estou aqui... e em outros locais virtuais que posso querer falar/escrever.... não é fácil.

As pessoas não compreende não queremos nos matar, morrer, simplesmente tem uma força que nos sufoca e nos deixa numa inércia insuportável... mas aos poucos com o remédio vai ter dias que vc vai está melhor sim. Eu desejo melhoras para ti.

Beijos,
Lia*

Ana disse...

oi amor, desculpa a ausencia, to daquele jeito... desculpa mesmo... te amo, sempre.
quero conversar com vc, darei um jeito de ligar na sua casa no fds ok?
desculpa mais uma vez

Anna Williams disse...

Marcy, boa sorte com tudo. Eu fico feliz que você tenha dado o primeiro passo. O tratamento com o farmaco ajuda muito, de repente voce muda de ideia depois. Estou me tratando há um tempo e as melhoras estão a caminho. Te desejo muita coragem e energia positiva para lidar com o que está passando. bjs, Anna

Yara disse...

Oi, flor
respondendo, acho que sou a pessoa mais viciada em remédios de que já tive notícias. A muitos anos fiz tratamento psiquiátrico e fui a paciente mais cobaia! Tomei fluoxetina, lítio, citalopram... muitos, troquei de medicamento ( e diagnóstico) mais de 10 vezes. O único que não me fez tão mal foi o escitalopram, com ele coloquei fim no tratamento da depressão. Já tomei anfetaminas e toda sorte de remédios pra rmagrecer que vc imaginar. Também já fiz tratamento com vários dos calmantes tarja preta mais conhecidos. Por cerca de 5 anos isdo aí.
Há uns 10 anos viciada em laxantes e diurético, só deixei de tomar desde que engravidei. Tomava cerca de 40 diureticos por semana e 20 laxantes, eu creio.
Também fazia o eca periodicamente, com cápsulasde cafeína. Além de ser deoendente de dramin pra dormir, cerca de 4 por noite.
Além disso, no dia que engravidei, tomei a pilula fo dia seguinte. E quando descobri tomei uma cartela de 20 diureticos por puro desespero.
Também usei coca exporadicamente a alguns anos atrás.
Obvio que me envergonho de cada um desses tópicos. Mas sempre achei meu corpo extraordinariamente forte, pq apesar de bulimica e viciada em remédios, nunca tive nem uma úlcera, nem um dente caiu, nem o figado reclamou. Rs
kinha vida mudou drasticamente assim que resolvi bancar a gravidez. Tive uma gravidez maravilhosa, srm nenhuma intercorrencia e o bebê nasceu perfeito e com muita saúde. Como disse, amamento sem problemas e nem baby blues no puerperio eu tive. Só algumas crises de irritabilidade pela privação de sono, e nunca com ela, sempre esbravejando com o marido. Rs

fica tranquila, que a natureza se encarrega de fazer sempre o melhor para o bebê. E, em geral, só se engravida quando o corpo consente e é capaz de segurar a gravidez.

beijinhos
FORÇA E CONTROLE

Alice disse...

É realmente muito doloroso ver nossa mãe numa situação ruim,seja ela qual for,mas o importante é que você tem reconhecido essa sua necessidade de dar uma mudada na situação que sua vida está e como você mesma disse,o primeiro passo você já deu e agora basta continuar firme.

Fica bem.

Bárbara Ana disse...

Ooooi, Marcy querida.
Sabemos do que vc está falando. E por isso, sabemos o valor desse primeiro passo. Já tive época de não sair de casa nem pra ir ao médico. Mas dei um primeiro passo e aqui estou eu, bem melhor.
O lítio estabiliza o humor. É bom. Mas pra mim não ajudou porque eu tomava com cerveja. Anyway. Espero que te ajude.
E quanto a sua mãe.. Cara, tem nem o que dizer. Não mensuro o tamanho da sua dificuldade com o mundo, ainda acontece uma merda dessa com seu porto seguro. Muito complicado, sofrido. Mas vc tem uma sementinha aí dentro que vai brotar e vc vai passar por tudo e vai ficar bem.
Beijos, sweet.

Isabella disse...

Oi honey,
Existem momentos que fica realmente difícil encarar as coisas, meio que me identifico por estar passando por um momento muito difícil de lidar - o mais importante é que vc mesma sabe a importância e já deu o primeiro passo. Buscar ajuda é muito difícil e vc já fez isso, tu sabe o que vc não quer -- viver infeliz -- e é isso que importa.
Segue buscando essa saída para uma melhora, não desiste de vc pq nós aqui tbm nunca vamos.
Lítio é um remédio potente e complicado d tomar sem acompanhamento terapeutico, tenta ter cautela, é um estabilizador de humor bem eficaz apesar de ter certas ressalvas pq é bastante tóxico.
As coisas todas vão se acalmar, contigo e com tua mãe, conta comigo viu.
Bjokonas
;***

Alie disse...

Marcy eu não tenho a menor duvida de que você vai sair dessa. O passo tá na direção certa. Esse fortalecimento é o que todo mundo quer de si, e vai ser útil não só pra apoiar sua mãe, que está passando por uma situação difícil. Essas coisas servem pra vida.
Pelo momento, mentalizo minhas good vibes pra vc e sua mãe. :)

Kati disse...

Fez certo em dar o primeiro passo, é o passo mais dificil, depois desse os outros vem naturalmente.
Espero que consiga se restabelecer logo minha querida.
Melhoras pra sua mãe.
Beijos

ka Lima disse...

Oi!!!
Que barra essa que vc tá passando. Mas siga em frente pois vc é forte e eu acredito em vc, o primeiro passo vc já deu. Eu sei que vc dará muitos mais e sairá dessa bem.
Desejo muitas melhoras para sua mãe, e pra vc tudo de bom.
Estou na torcida.
Muitos beijos!

Sarah K. disse...

O importante é que você já deu o primeiro passo. Vamos com calma, nem tudo é para sempre e uma hora as coisas se ajeitam, bom prefiro acreditar assim... minhas sinceras melhoras para sua mãe.
beijos

Jess disse...

Oi Marcy! não sei oque houve com sua mãe, vou ler os outros posts depois pra entender, so li o do pé machucado, espero que tenha melhorado.

Eu imagino como deva parecer "derrotador" esse momento de voltar a um psiquiatra, mas ha momentos em que estamos tão perdidas e precisando de apoio, que essa é a melhor e as vezes a única saída.

Acho que as coisas irão melhorar pra vc agora, como a Lia disse... o primeiro passo ja foi dado.

Um beijo fica bem.

A Noiva Cadáver disse...

E logo dará o segundo e o terceiro e quando menos esprar estará andando sem olhar para as coisas que hoje te atrapalha ou te desanima

Fat Bastardo disse...

Thin Shaming vs Fat Shaming Click Here to see what is worse
Fatties cry foul when people point out the truth of obesity. Fatties call it fat shaming.

Click Here to see why Thigh Gaps are a sign of good health
Thigh gaps are a sign of GOOD health! Most women with a BMI less than 22 will have a thigh gap. Thigh gaps are not unrealistic. 35 years ago most women had thigh gaps.

voadora disse...

Que lindo seu otimismo! Espero que tenhas força para ajudar sua mae e, bem, para viver de maneira boa, mundana!

Boa sorte, te desejo o melhor.