sábado, 21 de março de 2015

Acontecimentos

Aconteceram tantas, mas tantas coisas, que não deve caber em um post só, mas como vivo tentando coisas que não cabem, vou tentar resumir.

Perdi a conta de quantas vezes minha mãe já foi e voltou do hospital. Hoje ela está em casa. No dia antes de anteontem (ante-anteontem?) ela fez a terceira transfusão de sangue desde Fevereiro. Anemia severa, por motivos desconhecidos. Acharam que havia um sangramento, reviraram ela por todos os lados e nada de sangramento. Agora ela vai ter que fazer um medulograma, ou seja, a biópsia da medula pra ver se existe algum problema ali. Só resta aguardar e torcer para que a hemoglobina não baixe muito outra vez nesse meio tempo entre a biópsia da medula e a consulta dia 1º (SUS, galera).

No meio disso tudo, trabalhei. Trabalhei até não sentir mais os joelhos. Trabalhei, em alguns dias, por 13 horas seguidas. Trabalhei tendo que carregar coisas super pesadas por uma escada por ser a funcionária mais ~forte~ da loja. Mas bato na tecla de que gordura não é sinal de força. Gordofobia nossa de cada dia. Até que, na semana passada, depois de trabalhar por 10 horas, minha mãe teve que ir para a emergência do hospital sozinha, passando mal, e eu só consegui ir ver ela depois do trabalho. Foi meu antepenúltimo dia lá.

Antes disso, em meados de Fevereiro, uma tia achou que deveria saber mais sobre o estado da minha mãe do que eu, e ficar mais com ela do que eu. Tivemos uma discussão por telefone, e ela se sentiu no direito de me esperar na porta do hospital, no fim do horário de visitas, para me agredir física e verbalmente. Puta, monstro, cadela no cio, tu foi cuspida não parida, tu tortura a tua mãe, sua vagabunda, vou entrar com uma ação pra te proibir de ver a tua mãe. Com os braços roxos liguei para a Camila que me acompanhou em uma delegacia, onde meus hematomas foram registrados como "arranhões" por uma policial que parecia estar com mais pressa do que vontade, mas ao menos registrei a falsa acusação de ser uma torturadora, e todo o resto.

Há duas semanas, minha irmã de criação, a B., foi embora do interior com o namorado que mora em uma cidade aqui ao lado de Porto Alegre, e ela me contou, sem que eu jamais tivesse desconfiado, uma história que aconteceu com ela, mostrando que partilhamos uma mesma experiência dolorosa.

E é assim que anda a minha vida. Venho tentando ter fé, força, essas coisas, mas não sei quando disso é uma farsa para mim mesma ou quanto disso é real.



10 comentários:

Anna Williams disse...

Marcy, meu DEUS! Só mesmo uma heroína para passar por tudo isto e estar ainda firme e forte. Eu imagino que você esteja sofrendo. Fico tão triste por isto e sem poder oferecer nada mais que as palavras de afeto. Eu li o post em menos de 1 minuto querendo chegar ao final para ver se a conclusão era de que você está de pé. Estou aqui mandando boas vibracões pra você.

Alice disse...

Marcy,sinto muito por essa situação toda,sei como é difícil ter que lidar com esse tipo de situação,ter que ser forte quando na verdade queremos ser poupadas e cuidadas também,por que não!Sei que falar que você é forte e uma guerreira não vai adiantar mto,porque vc provavelmente já sabe disso,então só me resta deixar registrado aqui que estou na torcida para que as coisas melhorem logo pra você,infelizmente é tudo que posso oferecer:a certeza que tem pessoas que estão com pensamentos positivos,e torcendo pra que fique tudo bem logo <3
Beijo

(●•Lia•●) disse...

Quanta coisa!
Sem respirar com tudo isto!
Sabe que não posso dar-lhe mais que palavras e vibrações boa para que você e sua mãe logo possa desfrutar de uma vida melhor.
Você está sendo uma guerreira e tanto. Tenha fé, nunca a perca, pois é a esperança e a fé que nos faz continuar.
Quem tem uma tia dessa não precisa de mais nada em amiga?
Sinto muitíssimo pela sua mãe e por você, mais como já tinha dito, senti não vai ajuda-la em muito coisa.

Abraços.

Anne Darkness disse...

Boto muita fé em você, Marcy. Sempre que puder irei te lembrar disso.
Fico feliz (porém não surpresa, eu sabia que você daria conta) por você ter enfrentado essa última big bucha. Por ter conseguido trabalhar, e trabalhar tanto! Sei bem o quanto foi difícil para você, desde a simples (não tão simples) ida à entrevista. Imagine então o resto, a pior parte.
Lembro de tentar te lembrar de separar as prioridades, e a do momento era a melhora da sua mãe, e mesmo que demorada, isso parece estar a caminho. Percebe como as coisas parecem estar tomando um ar mais calmo? Nada no mundo paga esse sentimento de que a vida está tomando rumo, forma.
Seja paciente. Mais. Logo sua mãe estará boa. Hora de começar a pensar na próxima prioridade. Trabalhar, estudar? Emagrecer? Um namorado? Matar sua tia quenga? Cuidar de você?
Já sabe o que eu penso, né?

Te adoro.
Se cuida. Qualquer pepino, pode me contactar via SMS. Te respondo na hora em que for cagar, que é quando estou conseguindo mexer no celular, hehehe.

Lorena Flores disse...

Marcy querida !
Tenho você como uma grande amiga
por que sua sinceridade e inteligencia
me fazem te admorar .
realmente muitas coisas acontecendo
mais fica calma (eu sei que é muita ousadia pedir para alguém atribulado ficar calmo)
Mais se me permite vou te falar de um Grande amigo esse sim é fiel e verdadeiro e está sempre do seu lado , ele não se importa se você não acredita n'ele o seu único objeto e amar e proteger : Jesus!
sim ele pode mudar o rumo de qualquer situação peça à ele que cure a sua mãe
e te ajude a passar por esta fase complicada
bjs linda se cuida obrigada por estar sempre comentando lá no blog

Sarah Kaeda disse...

Marcy, enquanto eu lia seu post eu ficava cada vez mais indignada, sério!
Aff, que gente preconceituosa, nada a ver gordura com força, grande bobeira! E esse lance da sua tia? Credo, gente, coisa mais feia e indelicada da parte dela e ainda por cima registrado apenas como arranhões? Morri, sinceramente.
Muita força, para você e para sua mãe, fique bem.
ps: todo este tempo e eu não te seguia...

Alie disse...

Depois de tudo q vc faz ainda ter q ouvir uma dessas é foda. Mas agiu certo, registrou a ocorrência, se um dia precisar tudo isso aí é evidência P justiça.

Anita Perfeita disse...

Costumo dizer que quem tem mãe tem tudo, e é por esse tudo que ela representa que vc ainda está de pé fazendo o seu melhor, se sacrificando e trabalhando muito duro todos os dias.Esta é a prova mais viva de que a sua fé é real.
É incrível como as pessoas associam gordura com saúde ou com força, sabemos que isso é pura ignorância, lamento por vc ter sido ainda mais explorada pela gordofobia dos outros e espero que vc ache um emprego menos estafante!
Gente desequilibrada, gente mal educada e gente doida, tem em todo lugar, é o famoso lixo da sociedade, volta e meia vc bate de frente com alguém problemático, normal.
O verdadeiro problema ou a pior dor não é passar por uma situação de agressão física e verbal de alguém, doloroso mesmo é quando esse alguém é parente, alguém que tem o mesmo sangue que tu e que teoricamente deveria te tratar melhor por consideração a si mesma.
Odeio delegacia, mas se eu precisar de uma prefiro ir na delegacia da mulher, eles são treinados para serem mais sensíveis do que nas delegacias comuns.
Resumindo a barbaridade: vc não foi muito bem atendida e ainda apanhou, da próxima chama a amiga pra dá uma surra na desgraçada que é mais negócio viu?

Além de estar doente tenho aturado o assédio da peste que dizem que me pariu, já bloqueei mais de 20 números diferentes que ela liga pro meu celular e pro celular do meu marido pra infernizar, ela andou batendo aqui na minha porta uma 4 vezes esse mês,a sorte da infeliz é que todas as vezes eu estava na cama queimando em febre com dengue ou gripe, bah quando eu estiver de pé vou dar a surra que o meu avô não teve coragem de dar naquela vagabunda.
Sei muito bem o que é ter um espírito sujo na família, vc não está sozinha!

Desejo melhoras pra sua mãe :)

Ps: a modificação que vc fez nos comentários funcionou, está ótimo para escrever agora.

Beijinhos ^^

Cecilia Ana disse...

Olá, tudo bem?
Triste esse turbilhão de coisas na sua vida...
Tô aqui, torcendo pra que sua mãe melhore e que tudo dê certo na vida de vocês duas, de verdade!
Vim retribuir seu comentário e suavisita lá no meu blog!
Fique a vontade pra voltar lá quando puder!
Beijinhos :*
Venenos de Pelúcia

Rebeca e Ana Mia disse...

Eu...ODEIO quando vem com essa desculpa "porque você é mais forte" ODEIO!! Quando faziam isso comigo eu quase chorava. Agora a tia, se a tia tem tempo de sair do buraco que estava pra ir te agredir na frente do hospital porque não é realmente útil e ajuda já que você esta trabalhando demais e ela pelo visto tá com tempo de sobra pra julgar você. Pessoas são muito insensíveis...o mundo esta insensível demais. Eu realmente espero que ela não faça isso não só por você mas por sua mãe também que né, ainda ter que se preocupar com uma guerra familiar já é foda. Quanto esse trauma...eu sei o quanto dói se for o que estou pensando eu também passei por isso e eu só espero que dias melhores venham e que nesse dia doa menos.