terça-feira, 31 de março de 2015

Medos, arrependimentos e juramentos

Eu estou com medo.
Do estado de saúde da minha mãe.
Do fato de não conseguir demonstrar todo amor que sinto por ela.
Do que será de mim se ela for embora.
Eu não quero que ela vá.
Ela tem que ficar comigo. E bem. Por pelo menos mais 20 anos.

Voltei a me cortar. Isso alivia um pouco as crises de choro, por incrível que pareça. E quanto mais eu me corto, mais sinto vontade de me cortar. E quanto mais eu penso, mais eu imagino em como seria a morte ideal, sem falhas ou prorrogações. Mas não com a minha mãe por aqui. Ela é minha esperança, meu alicerce, minha âncora e precisa de mim.
Por isso os cortes são em locais escondidos, pra ela não ver e acabar se magoando.

Acabei de comentar com um precioso amigo no Facebook que, se a minha nano-família sobreviver, serei uma pessoa melhor. Foi um juramento.

11 comentários:

Hellz. disse...

Gosto do seu tipo de blog... de cunho pessoal (ou quase pessoal ou que parece pessoal ao menos).

Tanta angustia, gente. Eu compreendo boa parte dela, acredite.

beijo
beinghellz.blogspot.com

Sabrina Tavares disse...

Entendo suas angustias, eu também não quero perder minha mae, nunca, mesmo eu não morando com ela n quero perde-la.
Força pra vc flor.
Vc consegue

(●•Lia•●) disse...

Sinto muito!
Sei o que é perder uma mãe e, não é das melhores sensações. Mas você vai ficar com ela bom bem mais tempo que possa imaginar. Tenha mais forças que já está tendo. Sei que está buscando de onde não tem.
Abraços!

Anna Williams disse...

Estou orando por você, mandando vibracões positivas porque é a ´´unica coisa que posso fazer. Espero que sua mãe melhore logo e que você possa respirar aliviada.

Ana Alves disse...

Oi Marcy!
Nem posso imaginar o sofrimento que deve estar passando, mãe é única para nós, e eu desejo de todo o coração que a sua fique boa logo e esteja contigo por muitos e muitos anos ainda!
Se quiser conversar pode me enviar um e-mail (anacarolina_alves@live.com) e te responderei assim que puder.
Um abraço carinhoso pra ti, muita força nesses momentos difíceis.

Alie disse...

Hope for the best, be prepared for the worst.

Cuidar de nós mesmas já é difícil, se somar com cuidar de uma pessoa querida o peso duplica. Não ceda à tentação da autodestruição, seja forte, tire toda a força que tiver, de onde puder. Tudo tem sua hora, a dor passa, tem que passar. As vezes eu mesma duvido disso tudo, mas no fundo tenho um fio de esperança que me mantem tentando viver. E esse fio tem que estar dentro de nós, não em outra pessoa.

Anita Perfeita disse...

Olá Marcy!

Justamente penso nisso também, uma vida a dois as vezes é solitária, o silêncio da minha casa parece querer me dizer que falta algo ou alguém!
Planejávamos trazer a nossa sobrinha para morar conosco, mas ela morreu ano passado, e talvez ainda seja muito cedo para criar um sonho novo.

Shuashuashuas eu não tinha pensado na possibilidade de beber algo para adiantar o processo, obrigada pela ideia =D

Ontem proibi meu Príncipe de comer fritura, ele fez e ficou sem comer. Não vou deixar ele comer algo tendo a certeza de que vai passar mal de novo!

Eu por minha vez já havia vomitado duas vezes involuntariamente, na primeira eu ainda estava em jejum foi o ácido do meu estômago, na segunda foi um caqui que não me caiu bem, e na terceira foi bulimia mesmo, não consegui deixar a tal fritura dentro de mim.
Daí veio esses mesmos sentimentos que vc descreveu, de querer morrer pra acabar com isso tudo logo.
Resumindo: sem moral aqui pra pedir que vc não se corte mais ou que não tenha medo do futuro.


Beijinhos

Sarah Kaeda disse...

Oi, Marcy.
Eu espero que essa promessa, barganha vença, e você ainda possa ser muito feliz.

Queen B disse...

Hey, Marcy.
Melhoras a sua mãe, agora, neste momento e depois, você tem que ser forte pelas duas! Tenho certeza que sua mãe sabe o quanto você ama ela.
Beijos, Queen.

Crystal Fairy disse...

Não acho que você seja uma pessoa ruim, mas não espere que nada aconteça para mudar o que você acredita que te faria uma pessoa melhor, se cuide, tenho certeza que isso iria ter um retorno muito positivo não só para você, mas também para sua nano-família.
Beijos :*

Rebeca e Ana Mia disse...

Hey Marcy, olha eu aqui de novo...Você sabe que eu passei por algo parecido alguns meses atrás e não sai ganhando. Eu não posso falar por você pq só posso falar de mim e olhe lá, que nem de mim estou certa, esse sentimento de não querer perder e não poder fazer nada é algo inútil que carregamos também, invés de tentar resolvera meus desentendimentos com minha mãe eu simplesmente esperava que ela sobrevivesse para não ter que discutir isso, eu passei anos sem dizer um "Mãe, eu te amo" apesar de achar que ela já soubesse eu nada disse. A última vez que a abracei eu deveria ter uns 6 anos de idade e sentia vontade de a abraçar mas a mágoa era maior, o que eu estou tentando dizer com isso? É que desejo que sua mãe melhore, para você fazer a coisa mais clichê do mundo que é demonstrar tudo o que você ainda não conseguiu colocar pra fora, eu planejei a minha vida toda (mesmo tendo problemas de relacionamento com ela) nós duas viajando juntas para algum lugar, algo só nosso. Faça algo Marcy, algo que deixa as duas felizes, algo que te lembre tanto sua mãe que você queira ficar mais um pouco mesmo que tenha saudades dela, porque se a ordem natural das coisas prevalecer você precisará de um motivo para ficar aqui.