segunda-feira, 1 de junho de 2015

How I'm feeling now


Eu pensei que seria mais fácil, não foi.
Tive dias de compulsões terríveis, tristeza absurda, perdi a vontade de sair de casa, de tomar banho, de cuidar de mim. 
A psiquiatra me receitou Lítio, pela segunda vez, uma tentativa já fracassada. Então fiquei catatônica, sem enxergar direito, com dores de cabeça, etc. Aí uma bela noite, estava andando em direção ao banheiro, ao indo para a cama, não lembro, e esqueci da parede... toda a força do meu corpo pareceu se depositar na minha testa naquela batida. Náuseas e tonturas ocorreram depois, mas agora, apenas uma dor leve na testa. Não contente, no dia seguinte, bebi meia garrafa de tequila, vomitei, pedi perdão pra minha mãe.
No meio disso, antes ou depois, não lembro, ela disse que está me vendo caminhar em direção ao suicídio.

Eu invento desculpas e mentiras pra mim mesma.
Não sei o que me tornei.
Dos surtos que eu tive, sem querer tirar o peso de mim, atribuo a maioria deles as visitas forçadas que tenho que receber do meu genitor, o cara que fez a minha mãe fugir de casa aos 7 meses de gravidez e me criar sozinha. Acreditam que ele se sente no direito de vir sem avisar? E quando liga não pergunta se pode vir tal dia, ele diz "vou aí tal dia" . Está mais interessado na minha mãe e se aproveitando do fato dela estar ok com as coisas. Concordamos em impor limites, então hoje quando ele interfonou, não atendemos. Mas ele vem quarta, e já estou irritada com isso.