sábado, 18 de julho de 2015

Crossing lines

Então, hoje (sábado,18/07)  meu genitor passou dos limites.
Por voltas das 11 horas o telefone toca. Atendo, bem contente sem saber que era ele.
-Alô!
- Tua mãe tá por aí?
- Tá, quer falar com ela?
- Sim, chama ela aí.
- Tá... mas só pra tu saber, eu tô bem também. Sei que tu não se interessa por mim, só pela minha mãe, mas eu tô bem. Tchau.

Ele começou a dizer algo quando alcancei o telefone pra minha mãe. Que disse que aqui estava fazendo sol e disse tchau. Boquiaberta, minha mãe parecia não acreditar no que eu (que não tenho boca pra nada) tinha dito. Ela disse que ele estava todo atrapalhado a acabou perguntando como estava o tempo aqui e disse tchau. Mas ela achou que eu fiz bem, porque ela já sacou que ele só tem interesse nela mesmo.

Por volta das 13h:30min o interfone toca. Ele é a única pessoa que aparece sem avisar. Ignoramos. A insistência continua, típica dele, já tivemos que ignorar ele duas ou três vezes, e depois ele ligou reclamando que a gente não estava em casa, sendo que quem apareceu sem avisar foi ele.
15h52min o celular da minha mãe toca, ela atende e desliga. Indignada, diz que a ligação era a cobrar!
O interfone fica quieto por mais de meia hora, e depois começa a tocar de novo.
Pouco antes das 18 horas os vizinhos vieram aqui reclamar avisar que tinha um homem lá em baixo perguntando pelas pessoas do nosso apartamento, dizendo ter coisas para pegar aqui.
Resolvemos descer. Eu com uma faca no bolso, só pra prevenir. Um sujeito disse que "um cara", lá pelas 15h30min deu esse endereço pra ele, pois estávamos dando uma TV e um roupeiro, aí ele veio pegar. Minha mãe perguntou como era a fisionomia do tal cara e ele descreveu meu genitor, e de repente fez uma cara de arrependimento. Aí ele mostrou o papel onde o cara escreveu nosso endereço. Meu brilhante genitor esqueceu que foi casado com a minha mãe, que por acaso conhece a letra dele, e além disso, outro dia ele esteve aqui e esqueceu umas anotações. Preciso dizer mais?

Como resultado dessa raiva guardada e ao mesmo tempo vontade de dizer mil e uma vezes pra minha mãe que sim, eu tinha avisado, comi 3 pães, uns 10 kiwis, entre outras coisas. Troféu Compulsão pra mim.

Falta uma semana para o meu aniversário e pela primeira vez em anos quero comemorar com amigos. Fim do inferno astral. Novo ciclo. Um ano a mais pra quem perguntar, ou em algum currículo que eu tenha que preencher, ou em qualquer ficha cadastral que eu tenha que preencher. 

8 comentários:

Anita Perfeita disse...

Ah Marcy...

Psicopatas adoram telefones, querida!
A puta que me pariu adora ligar pro meu marido e pra mim também, e fica muda afim de nos tirar do sério, mas não tem graça porque como pessoas educadas que somos não temos o costume de xingar, simplesmente ficamos quietos do outro lado da linha queimando os créditos dela.
A quenga manda mensagens safadas pra ele e pra mim, afim de que nós dois possamos brigar, porque a minha genitora quer o meu homem pra ela, vai vendo se isso não é coisa de psicopata.
Por isso resolvemos quebrar os chips dos nossos celulares quantas vezes for necessário, pois a nossa paz é mais importante do que bens materiais.
A ex do meu marido costumava ligar pro telefone fixo dele, e o que ele fez?
Arrancou o fio do telefone, arrancou a tomada e a instalação inteira, teve uma crise de ódio e partiu o telefone em mil pedaços, a conta chegou e ele nunca pagou de propósito para que cortassem mesmo, passaram-se anos e a operadora já ofereceu religação até de graça, mas ele não quer, e até hoje está só o buraco onde ficava a tomada do telefone.

Como você pode ver o único jeito de se livrar desse tipo de gente é quebrando chips e mudando os números...

Seu genitor faz mal pra vocês duas, então por que a sua mãe não manda ele catar coquinho?
me desculpe a sinceridade, mas ele não está preocupado com você, muito menos com os seus sentimentos, age como um bicho por puro extinto sexual atrás da fêmea que o interessa -que é a sua mãe- enquanto ela não colocar um freio nele, enquanto ela o receber e atender os telefonemas vai continuar dando esperança e ousadia pra ele continuar infernizando!
Observe friamente se o ato de ligar e ficar de papinho não é coisa de namorados!
Essa fase já afundou, o casamento dos dois acabou e pessoas ruins não se regeneram com o tempo, pelo contrário, ficam cada dia piores!
Aliás você já deve ter avisado, mas cabe a sua mãe a atitude de dispensa-lo!

Espero que o seu aniversário seja maravilhoso e que o encontro com os seus amigos seja o mais agradável possível, e que o seu genitor não apareça pra estragar tudo!


Beijinhos ^^

Lorena Flores disse...

Eu não conheço seu "genitor"
Mais pela forma que o descreve ele parece ser uma pessoa perigosa.
E tenho que lhe parabenizar
Por dizer o que disse para ele.

Meus parabéns adiantado!
E que seu aniversário seja inesquecível.

Julia disse...

Não deixe pessoas como seu 'genitor' te tirarem do sério. E parabéns pelo o que disse a ele.
Feliz aniversário, que esse encontro com seus amigos lhe traga muita alegria :)

xx

Annie Porcelana disse...

Oi,
há um tempo estou na luta contra o peso e hoje resolvi fazer um blog também. Passarei por aqui mais vezes, está muito difícil de encontrar blogs ativos.

Me segue?
http://annie-porcelana.blogspot.com.br/

Bjs ♥

Sophie disse...

Oi, linda! Cheguei aqui agora então estou meio por fora dessa história do teu genitor, mas aos poucos entenderei melhor... quando eu tiver umm tempo extra lerei os posts antigos. Bom, compulsão parece que tá sempre num cantinho, nos observando e esperando o momento de mais fragilidade para aparecer. É difícil não se deixar levar por ela, mas é possível. Se esforça mais para não viver disso, vira um ciclo e... é horrível. (ah, amo kiwi <3) Bjss

Sarah Kaeda disse...

Credo! E só eu achando que meu genitor era estranho, enfim...
Ainda bem que você quer comemorar seu aniversário, por que eu ainda não vi bons motivos, viu?
mas, viva o alto astral!
beijos

Carol Prado disse...

Marcy, tudo bem?
Meu nome é Carol, e eu acompanhava seu blog há muito tempo atrás, embora nunca tenha chegado a comentar (eu me sentia imatura demais e vejo tanta profundidade no que você escreve). Mas eu sempre me identifiquei com as suas angústias e principalmente com a dúvida sobre si mesma...
Depois disso, eu fiquei um tempinho fora da internet, tentando lidar com minhas dúvidas e transtorno alimentar. Hoje, depois de quase um ano, o seu blog me veio à memória. Li todos os posts perdidos e reli uns antigos. Não sei bem porquê, mas me senti tão incomodada a comentar.
Eu sei que é um comentário pouco significativo pra você, mas é só pra dizer que eu espero de verdade que essa fase ruim passe e que você consiga lidar bem consigo mesma (que me parece ser uma pessoa ótima e extremamente sensível à dor do outro). Ah, e preciso dizer que um post que você fez há um tempo atrás contribuiu pra que eu percebesse o peso que realmente tem um transtorno alimentar e procurasse ajuda...
É isso, espero que não estranhe muito o comentário.
Um beijo e fica bem.

Alie/Drella disse...

Mandou muito bem ao telefone! hahahah
Você já está desapegando legal dele, mas acho que sua mãe ainda não. Espero que um dia ela se dê conta também do mal que ele causa.