quarta-feira, 15 de julho de 2015

Palavras soltas...

Perdi as contas de quantas vezes tentei começar a escrever aqui.
Tudo se tornou tão... louco.

Meu genitor gera uma crise a cada vez que aparece, depois da última, onde nem me deu oi e disse "passa o telefone pra tua mãe aí", ficou combinado que ele não vem mais aqui. Aliás, não passei o telefone pra minha mãe.

Minha irmã de criação está grávida, eu vou ser tia, estou feliz pois ela está empregada, obstinada e isso acabou trazendo um pouco de cor pra vida da minha mãe, que ficou menos apavorada do que eu quando soube, mas agora pensa em costurar roupinhas de bebê.
A anemia de mamis regrediu, mas ainda é preciso suplementação e um tratamento com uma equipe de cinco especialidades de médicos, por enquanto. Na verdade, 4 médicas e 1 médico.
Ninguém sabe a causa de tudo o que aconteceu e está acontecendo, minha mãe, aparentemente, é um mistério que a medicina não desvendou, mas ao menos, manteve viva com internações, diversas transfusões de sangue, injeções de vitamina, comprimidos, etc.

Se eu não surtei é porquê tenho a minha mãe ao meu lado.
Estou no meu maior peso, fui desclassificada de algumas entrevistas de emprego por conta disso, inclusive, uma recrutadora deixou isso bem claro, dizendo que da próxima vez o currículo deveria ir com uma foto, de preferência bem clara. Fez mais duas perguntas e me deu tchau.
Também estou procurando empregos que me possibilitem ter uma vida, onde eu possa sair até às 18:00 ou então entrar depois das 15:00.

As crises ocorrem mais quando o genitor quer forçar a barra, mas também quando me preocupo demais com minha irmã, tão nova carregando um bebê, com um namorado inconsequente em termos de emprego/sustentar uma família, ou quando sinto um medo terrível de perder minha mãe que vem associado a uma saudade indescritível da minha avó. Em Setembro farão 4 anos que ela se foi. E minha mãe já apresentava sinais de que não estava bem quando a minha vó ainda estava entre nós.

No mais, posso ter novidades que eu não lembre agora, mas como finalmente finalizei essa postagem, me despeço aqui.
Minha compulsão voltou, btw.

6 comentários:

fasciniodamagreza disse...

Força linda, muitas coisas acontecem em nossa vida, em nosso meio, e chegamos a pensar que não podemos passar por aquilo ou que não somos capazes de nos adequar a tal situação, mas ACREDITE você é capaz, e por mais que seja a coisa mais fútil que possa surgir, você pode passar pelos acontecimentos ilesa. Foco na sua jornada e felicidades pra sua vida e família :)

Jsou titia, e acredite é maravilhoso, paz Linda s2

Ana Alves disse...

Engraçado... eu moro com meu pai, e não sei se já te disse, mas não me dou bem com ele por diversas razões (incluindo as insinuações dele de que não sou sua filha e que seria fruto de uma traição da minha mãe, traição que nunca aconteceu aliás), normalmente eu vejo ele o mínimo possível, ele trabalha bastante, então nos raros momentos em que está em casa eu só faço ficar trancada no meu quarto. Só que nesse mês ele pegou férias, 20 longos dias em casa, e eu que há três meses não me cortava ou surtava... bem, surtei e me cortei. Simplesmente a presença dele perto de mim me perturba muito, me deprime ao extremo, é complicado... Só queria dizer que acho que posso mais ou menos imaginar o impacto que a presença do seu genitor te causa.
Gente, que entrevistadora é essa? Sinceramente, achei isso o fim!
Quanto à saúde da sua mãe, espero que de agora em diante só melhore. E você tente não pensar em coisas ruins, em perdê-la e tal... Não se sufoque com esses pensamentos. E sim, sei que não é tão simples.
Percebo que você é bem ligada à sua família, só não absorva demais os fardos e os pesos, isso te sobrecarrega, e sobrecarregada você não poderá ajudar muito, certo? Cuide-se e lembre-se que você também é importante e se estiver bem vai poder ajudar e cuidar de todos, da sua irmã e do novo bebê e também de sua mãe, mas antes disso tudo está você :)
Desculpe o textão, e muito obrigada por comentar lá no blog, obrigada mesmo.
Um abraço beem forte pra ti, e meus desejos sinceros de que tudo se acerte na sua vida. Saúde e felicidade pra todos!

Sabrina Tavares disse...

Que barra em flor, mas é assim mesmo, a vida nos prega peças e por mais que tentamos fugir ficamos em uma situação de escolham escolher vier, escolher ser magra, escolher ser feliz, espero que dê tudo certo com sua irmã, também fiquei gravida nova, com 17 anos, mas agora ta tudo bem, não é facil, mas com a ajuda de vcs tudo vai dar certo..
bjos

(●•Lia•●) disse...

Amiga,como já falei para você ontem... temos que segui né?
Então continuemos fazendo o que estamos fazendo e vamos vivendo.
Sei o medo de perder sua mãe, perdi a minha vai fazer 4 anos agora em setembro e ainda doe muito. E sei o quanto você é ligada a ela. Como eu disse ainda tenho meu esposo que me salva em momentos ruins... mais a vida não é fácil, e não será. Puxa Lia*! Você deveria está falando coisas boas, mais estou! Estou dizendo que você tem que ser forte, ser você, lutar pelo o que você deseja, e também não absorve todos os problemas, sei que é complicado o lanche da sua irmã, mais você não pode levar este fardo, o máximo é ajuda-la. Lembre-se disso.
Mas quero o melhor para você, como disse ontem, e sempre estarei torcendo por ti.
Abraços.

Lorena Flores disse...

Marcyyyyyyyyyyy !!!!
Perdi as contas de quantas vezes entre aqui ansiosa por uma nova postagem.
Amo o jeito como você se expressa. Amo ler suas expressões.

A vida é ... É complicada.
Fico muito feliz em saber que sua mãe apresentou melhoras.
E sua irmansinha esperando um bebe.

Espero que você fique bem. E que sua vida seja o que você sempre quis que fosse.

Um abraço bem apertado pra você minha querida.

E vê se não desaparece!

Anita Perfeita disse...

Oi Marcy!

Todos nós temos medo de perder as pessoas que amamos, e não podemos evitar a morte, nem a nossa e nem a dos outros, o que podemos é aproveitar o máximo das nossas vidas da forma mais tranquila possível!
Você tem razão em se preocupar com a sua irmã e com o baby dela, afinal ter um filho hoje em dia é algo caro e trabalhoso!Entretanto você não pode controlar tudo o que acontece na vida dela, os problemas da sua irmã é a sua irmã que tem de resolver!
Seu genitor é tosco e asqueroso, um canalha que não desiste de dar em cima da sua mãe, e enquanto ela permitir que ele se aproxime os abusos vão continuar, a história macabra é deles, e só ela pode colocar um ponto final.
Fico muito feliz em saber que a sua mãe está melhor!

Beijinhos ^^