segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Dia Mundial de Dizer Que é O Dia Mundial de Começar Dieta


São 04h02min. Já é segunda. O dia mundial de dizer que é dia mundial de começar dieta. Bem, eu não preciso de dieta, eu preciso de um regime bem restritivo.
Pensei, pensei, pensei... como estou obesa (e vou ignorar a compulsão que eu tive por volta de três horas atrás) sei que meu organismo vai estranhar se de, 5000 eu passar a ingerir 500. Então pensei em mandar ver nos exercícios e reduzir em muito, a alimentação. Mas olha só, a (ex) nutricionista da minha mãe disse que exercício não ajuda nada, só alimentação. Essa mulher deveria ser denunciada. 
Enfim, voltando... Pro meu organismo não levar um susto e depois empacar, vou começar tentando ingerir umas mil calorias por dia, já que quando eu disse que meu corpo vai estranhar ir de 5000 pra 500, as cinco mil calorias, em média, não foi um exemplo.

Vou colocar aqui uma lista do que vai ser permitido comer:
* 1 prato de sobremesa de arroz e feijão.
* Couve
* Cenoura
* Abóbora
*Vagem
* Brócolis
* Couve-flor
* Berinjela
* Alho e cebola para temperar
*Azeitonas
* Abacaxi
* Laranja
* Pêssego

Tudo em quantidades razoáveis, combinado com pelo menos 40 minutos de exercício todos os dias.
Eu preciso ser forte o suficiente pra conseguir fazer isso por pelo menos uma semana. E acreditem, para uma pessoa como eu ficar sem massa e pão... acode. 
Mas o meu corpo tá implorando por ajuda.

O resto continua uma merda. Mas eu não aguento mais reclamar. Então se não for pra dizer tudo de uma vez pra quem precisa ouvir e depois me atirar de um belo terraço bem alto, então fico assim, desse jeito mesmo.
São 04h19min agora.

sábado, 26 de novembro de 2016

Palavras que faltam


Eu não sei por onde começar, como explicar tudo que está acontecendo.
.
Tenho comido mais que uma porca, onívara, que come qualquer lavagem compulsivamente.
A coisa ficou feia pra minha mãe, no que diz respeito à saúde, trabalho, vida.
Pra mim também.
Fora o que estamos passando com a alegria de ter uma baby em casa, e a tristeza de ver a mãe dela ser omissa. Aliás, acho que ela andou fuçando meu blog pelo histórico, que não me importava de apagar, já que antes era a única usuária do computador, então B, vai tomar juízo e tomar no teu cu se ler isso. Deixa o celular e olha pra tua filha. Fora todos os outros podres dela que eu descobri.

No mais, remédios e delírios.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Das loucuras...


E cá estou, mais de 24 horas depois, me recuperando de uma das piores ressacas da minha vida.
Resolvi fazer uma roleta russa, bebendo sozinha no canto da sala. A cada garrafa/lata de cerveja, um Alprazolam, remédio com o qual eu não estou acostumada. 
Resultado? Entre acordar pra beber água e ir ao banheiro, dormi no chão da sala por mais de 24 horas.

Lua me disse para acordar desse pesadelo, que eu não sou mais a Marcy de antes. Acho que não sou mesmo. Pode ser que ela esteja dormindo por aí, esperando levar um desfibrilador acordar ela, porque em príncipes, ela não acredita.
Fazendo a soma de tudo, quase perdi minha mãe no começo de 2015, depois minha irmã veio pra cá (do interior), engravidou em seguida, no meio disso minha melhor amiga me deixou, encerrou, rompeu nossa amizade por um motivo tão bobo, meus amigos estão todos progredindo, minha irmã se mudou pra cá e eu sigo sem fazer nada, exceto ajudar a fazer a bebê dormir e brincar com ela. Mas ontem, num dos dias que a minha mãe mais precisou, eu estava inconsciente... ela acha que eu apenas bebi demais, porém, acredito que o causador do efeito louco que me deu foi a mistura com remédios.
Detalhe para o fato de eu ter escrito com aquelas canetas a base de álcool nos braços pra minha mãe me dar duas Aspirinas, um Dramin e um Plazil. Estava parecendo um Smurf.

Acho que é isso.

domingo, 13 de novembro de 2016

Certa feita...

... Mamis perguntou se eu estava tentando me matar com comida. Sabe que eu acho que ela detectou aquilo que nem eu tinha detectado?!?! 
Infelizmente, sou aquele tipo de pessoa que tem O PENSAMENTO ERRADO de que se já comeu um bombom, coma toda a caixa de uma vez. Pra mudar isso, só com hipnose ou reencarnação mesmo.
A Merda continua a mesma. Eu amo demais essa minha família bagunçada, mas diz a vida que eu tenho meu próprio caminho a seguir. Só que eu dificilmente consigo sair de casa sem tomar um banho de suor antes. Aí eu penso em dar um fim nisso tudo, mas aí vem a consciência, as crenças e tudo mais.
Estou me alimentando de carboidratos, gorduras e comprimidos para dormir... tomo de dia, de noite... só pra não ter que me encarar de frente.



terça-feira, 8 de novembro de 2016

Numb Again

Depois de muito pensar, concluí que não devo satisfações a ninguém, se não a minha própria consciência, que aprendeu o que é certo, o que é errado e bem, erra muitas e muitas vezes.

Os dias estão passando de uma forma tão... estranha. Achei que hoje fosse Segunda, mas é terça. O dia de ontem passou despercebido, acho que dormi grande parte do tempo. A última coisa da qual me lembro é (e não sei qual é a ordem), eu assistindo um episódio de Black Mirror e depois lendo um livro.

A dieta está uma merda.
Eu acredito em plantio e colheita, e sei que aquilo que eu plantei de ruim eu vou colher, a própria natureza vai me dar.

No mais, o mesmo.

domingo, 6 de novembro de 2016

Mexicana


Certas coisas já não me importam mais, outras me importam tanto.
Descobri que conviver comigo, duas mulheres e uma baby não é tão difícil assim, visto o amor que eu tenho por todas. O mais difícil é conseguir conviver comigo.
Às vezes olho pra rua e agradeço pelo brilho do sol. Em outros momentos julgo como seria minha queda patética do segundo andar. Aí eu penso em recomeçar, mas, sei lá.

Bem, já que eu estou sendo tão acusada pela Isabella de fazer merda, vou contar o que eu fiz, resumidamente. Ela que conte o resto se quiser, mas eu tenho os prints de todas as conversas. By the way, meus principais contatos, aqueles que importam, inclusive minha mãe, já leram meu blog, então espalhar esse blog pra todos eles (coisa que eu não fiz no teu caso quando me perguntaram o endereço do teu blog) não faria a mínima diferença na minha vida.

Estava eu numa festa. Eu já tinha falado pra Isabella que tínhamos um conhecido e uma grande amiga (das duas) em comum. Não foi difícil saber quem ela era, uma vez que detalhava sua universidade (a mesma que eu), horário que estudava, etc, etc, etc. Até o dia que eu comecei a achar (JULGAR) cruel tu noivar com uma pessoa, dizendo no teu blog, que era puramente pelo dinheiro dela. E saber que tu nunca apresentava ela nem como namorada em festas.
Uma bela noite eu estava numa festa, havia bebido cerveja, combo de vodka com energético e Clonazepam, grandes quantidades de todos os itens citados. Aí chegou uma guria cabisbaixa, pouco à vontade, e alguém (que conhece meu blog e a Isabella) disse que ela era a ex dela. Eu, completamente bêbada, perguntei, e disse que eu conhecia ela por um site onde ela escrevia, e que ela estava sofrendo a toa porque a ex-noiva, estava com ela só pelo dinheiro. "Ah, obrigada. Agora eu entendo porquê ela terminou comigo. Meu dinheiro acabou." Já arrependida, pedi desculpas e ela ressaltou que pelo menos entendia o motivo e iria parar de sofrer pela pessoa errada. De resto não lembro mais nada.
Ela estava com o celular, creio eu, falando com Isabella. Mas na manhã seguinte, um feriado, Isabella me procurou no Facebook, em meio as ameaças disse que a ex marcou uma consulta de emergência em um consultório com a psiquiatra (detalhe: consultórios particulares não abrem em feriados e domingos aqui em POA, se ela tivesse dito emergência, teria caído melhor...).
Pediu que eu me desculpasse com a ex, coisa que eu fiz, e ela aceitou, mas ela queria um pedido formal de desculpas, o qual eu neguei, sim, neguei, porque havia admitido meu erro, me desculpado com a maior vítima, e mesmo dizendo para Isabella que eu sabia a merda que tinha feito, continuava sendo ameaçada.
"sabe de uma coisa
eu sou sordida sim
qdo eu qro ser
então
fica esperta"
(...)
"E eu acho q tu não qr uma pessoa assim na tua vida
Buscando retaliação
Então tu cala a tua boca
E me pede desculpas
No mínimo"

Então, pra quem leu até aqui, foi isso. E esse foi meu último comentário sobre o assunto.
Vamos espalhar coisas por aí? Então vamos na delegacia com as ameaças que tu me fez.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Lacrimosa


Pouca coisa mudou da última postagem para cá.
Sigo tentando lidar com essas cicatrizes e com as feridas abertas internamente.
Faz uma hora, eu estava deitada, pensando em qual lugar desse apartamento teria estrutura para eu me enforcar. Não pude pensar em nenhum. 
O tempo que eu passo com a baby me faz bem, de certa forma. Fazer ela sorrir é o único feito positivo dos últimos tempos.

Acho que quando eu voltei expliquei que fiz merda, estressei uma blogueira aqui da minha cidade. Bem, ela passou aqui pra me chamar de cobra. Recado recebido.

Sobre dieta, sanduíches, arroz, feijão.



sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Born To Die

Minhas despedidas são tão longas quanto minhas dietas. 
Mas esse blog não se trata mais de dietas já faz muito tempo.

Na minha despedida, eu pensei que talvez eu fosse criar coragem e me matar no meio do caminho, mas o desespero não chegou a esse ponto.
De fato, hoje estou muito mais ferida do que no dia em que me despedi de vocês.
Hoje sinto que não valho nada para ninguém, que acabei me tornando um peso morto onde quer que eu vá.

Ficar com um bebê humano de 8 meses que já demonstra carinho é bom, mas é doloroso ver alguém criar laços com você. São os laços que justamente tem me machucado tanto. E é muito cansativo também, claro. Mas é muito boa a sensação da criaturinha se esforçando pra agarrar teu rosto e te dar um beijo.
No mais, tudo triste. Minha mãe vai fazer um exame para detectar diabetes... anda confusa, cega e triste, como eu.
Qual a razão de estarmos aqui. Como acredito em Deus, gostaria que Ele me desse uma resposta, como no filme A Felicidade Não se Compra... mas a vida não é um filme.


sexta-feira, 26 de agosto de 2016

"My only friend, the end"

Acho que acabou. Acabou postare.
Todo começo tem um fim, dizem, mas não tenho certeza.
Sei que eu não tenho mais disposição para postar, acompanhar, etc. Estou nessa há mais de dez anos, e é preciso reconhecer quando um namoro acaba.
Não tô bem, nem feliz, nem nada, é essa a palavra, nada.
Quem sabe um dia a gente se vê, em outro blog, em outras vibes.
Felicidade, gurias.

Esta que vos posta

Ela

sábado, 13 de agosto de 2016

"Deixe de se importar com quem parece ter cansado de você."

Foi esse um dos importantes trechos do comentário da Mariana que tenho tentado colocar em prática, mas volta e meia estou lá, mendigando aquele amor, aquela amizade.

São quase 7h30min da manhã. Passei a noite em uma crise de euforia, para vocês terem uma ideia, gastei todo meu saldo ligando pra Londres pra ouvir o sotaque dele, e agradecer por isso. Enquanto me matava de rir. Agora está vindo aquele abatimento. Fiquei tonta, caí, dei com a cara no pegador de uma gaveta e parece que eu levei um soco. A tontura não se deu por conta de dietas, mas por noites mal dormidas e abuso de medicação.

No mais, tudo na mesma. A bebê da minha irmã está com virose/infecção intestinal, e dá toda molenguinha, logo ela, que é tão elétrica. :(

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

No Title


Hoje é aniversário da minha mãe e não tenho nenhum presente. Ao contrário. Ela disse que vai atrás de um psiquiatra pra mim, por conta da última crise que eu tive estou tendo.
A cada dia que passa eu me importo menos... menos com a morte, com a vida. Eu só penso em ir pra junto da minha avó amada, deixar minha mãe em paz, ela precisa de paz.
Nem meus amigos suportam mais minhas crises.

Posso vos contar um segredo? Tenho uma amiga que consegue uns remédios pra mim, tenho o suficiente pra acabar com tudo. Mas tenho medo, e não é da morte, é de alguém me achar em tempo, me socorrer e eu ficar com alguma sequela. 

Mas é isso, não sei mais por quanto tempo aguento. 

terça-feira, 9 de agosto de 2016

And If...


Lembro de poucas vezes em que estive pior do que hoje, ontem e anteontem.
Meus braços levam novas feridas, superficiais, mas ah, quem dera tivessem sido fatais. Ainda estou confusa pelos remédios. Eu tomei tantos que dormi por tanto tempo, mas tive tantos pesadelos, que não consideraria dormir.
Então pela primeira vez, sim, eu tentei me matar, e continuo com essa ideia. Não fosse a minha mãe,eu já o teria feito. Mas imagina ela, me encontrando com a boca espumando, envolta em uma poça de sangue... sei que ela não causaria isso pra mim, não quero causar à ela,
Eu me mataria hoje, sem dúvida, se não fosse pelo sofrimento que eu causaria à minha mãe.

domingo, 31 de julho de 2016

Depressão, ansiedade, compulsão alimentar


Acho que perdi um considerável número de conhecidos. Alguns amigos se mantiveram.

Tenho tido problemas para sair de casa. 
Tenho tido repetidas compulsões alimentares. Hoje mesmo, comi duas barras de chocolate, quatro bananas, empanadinhos, arroz com couve, Danoninho e pão. Até os sutiãs estão ficando apertados.

Descobri que amo cozinhar. Gastronomia está se tornando uma paixão.

Eu estou triste.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Back


Bem... é triste a depressão ter alcançado um nível tão alto que me fez querer parar de postar.
Nada de muito bom aconteceu.
Eu engordei, perdi minha melhor amiga (ainda que ela esteja viva), me envolvi em confusão com uma guria aqui da blogosfera (bebi, fiz merda e citei ela), me demiti e ando enclausurada em casa comendo, rindo, chorando, engordando e com um certo pânico de ir para a rua.

Só que esse blog faz parte de mim, dos meus erros, dos meus acertos, etc, etc, etc...

Segunda completo 25 anos. E quando eu tinha 15, achava que nessa época estaria formada na faculdade, casada, com filhos... HAHAHAHAHA
Meu pensamento mudou, mas quisera eu estar formada já...

quarta-feira, 9 de março de 2016

Aconteceu

Os Rolling Stones e a Lovely vieram para cá, (sim, a Lovely, minha melhor amiga, do blog linkado aqui ao lado).
Bebemos café e conversamos um dia antes do show... e no dia... MINHA NOSSA!
Fomos para a fila às sete da manhã, eramos o número 38 e 39 da fila! O show foi fantástico, maravilhoso, eu poderia usar mil adjetivos maravilhosos para falar desse incrível espetáculo, e do dia inteiro que passei com a Lovely na fila.

Me perguntaram o motivo dela ter parado de postar. Ela está fazendo um esforço enorme pra se livrar desse TA maldito que tanto mal faz à ela, e não quer influenciar ninguém, nem ouvir parabéns por pesar 40 kgs ou menos.
Ela é frágil demais, queria poder dedicar um mês da minha vida só pra cuidar dela. 
Ao final do show, ela começou a apresentar sinais de hipotermia. Quando a banda saiu do palco nos dirigimos imediatamente ao ambulatório, mas ela não conseguiu mais caminhar e foi carregada. Eu e um amigo pegamos ela no colo e a passamos por cima da grade, enquanto um segurança levou ela.
Trocaram a roupa molhada dela por algo seco, colocaram a capa de chuva, mas ela já estava mal. Passava e muito da meia-noite quando nossas mães conseguiram nos pegar, já que o trânsito na cidade estava caótica. Essa não é uma lembrança que vou levar, é apenas um alerta para todos que enxergam uma beleza surreal na anorexia e bulimia.

Enquanto isso, minha vida pessoal/profissional anda um caos. Meu amor platônico desde 2011 me magoou, pela primeira vez me senti um lixo, decidi me afastar. Ele pediu para que eu não fizesse isso, que queria ser meu amigo. Mas tudo que aconteceu... só que eu poderia ter sido madura e ter apenas ignorado ou qualquer coisa, mas resolvi machucar também, e relembrar coisas que não precisavam. Se algo acontecer com ele por causa disso nunca vou me perdoar.
Pedi demissão depois de muito assédio sexual e moral. Não aguento mais. Coisas novas aparecerão.

Eu não sei até onde consigo caminhar ainda...

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Faz tempo....

Que não passo por aqui.
Sorrio genuinamente quando minha irmã traz seu bebê aqui, e só isso, ou ver a recuperação da minha mãe, me traz felicidade. O resto são possibilidades e decepções.
Ver o cara que eu achava que era apaixonada desde 2011 beijando e tomando unhadas de uma guria, ali, na minha frente, doeu, doeu pra caramba, mas me fez perceber que não tenho mais condições emocionais de me arrastar por uma pessoa que não liga pra mim, que não quer nada além de amizade. No momento, como é difícil pra mim, vou me afastar, a distância talvez me ajude...
Até porquê foi minha primeira paixãozinha, a coisa começou em 2011, e isso passa. Deve passar. E a amizade do irmão dele, meu melhor amigo, é mais importante.

A Lovely não vai mais ao show dos Stones comigo, por problemas particulares dela. Que pena.

Minha alimentação vai indo, nem bem, nem mal...
A loja em que eu trabalhava fechou, mas a direção optou por ficar comigo e me realocar em outra filial.