sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Quem é vivo sempre aparece...

Mas afinal, eu tô mesmo viva?
Numa conversa com a minha consciência e com o cara lá de cima, concluí que todas as coisas ruins que tinham pra acontecer já aconteceram, mais do que isso, eu não suportaria.
Quis morrer, quis me matar, quis matar, quis perdão.
Quase perdi minha mãe. De novo, Marcy? Sim. O psiquiatra dela achou inevitável a internação dela numa instituição psiquiátrica. Foram os dez piores dias da minha vida. No décimo primeiro fui lá pedir a alta dela, que estava visivelmente sofrendo lá, com hematomas pelo corpo e cianótica. Trouxe ela para casa, alimentei ela e fui trabalhar (trabalhei dentro de uma academia). Quando cheguei, de táxi, depois de uma ligação histérica da minha prima, chamei a SAMU. Segundo a minha prima ela estava a mais ou menos uma hora "daquele jeito". Aquele jeito era uma crise convulsiva por hipoglicemia, sim, ela é diabética. Glicose por várias vias, uma artéria furada, sangue no chão. Fomos dormir. No dia seguinte ela acordou com alucinações e vomitando, fomos para o hospital, dessa vez uma Emergência Médica. Colocaram uma pulseira vermelha nela e a levaram de cadeira de rodas para uma ala onde eu não poderia entrar, ainda.
Depois de algumas horas o médico me chamou. Exames prontos. FALÊNCIA RENAL e desidratação. Quando ele disse falência renal eu acho que não senti minha pernas e me apoiei com os braços em algum lugar, fingindo calma. E eu pedi demissão, não tinha cabeça para mais nada.
Cerca de duas semanas depois ela saiu de lá. Ela ainda está debilitada, eu vejo ela ter dias bons e dias em que peço mentalmente para que ela acorde no dia seguinte e não morra tão cedo, porque como eu disse pra Deus, isso seria demais pra mim.

Problemas com minha prima. Caí da escada de uma casa noturna podre de bêbada e fiquei com as minhas pernas inutilizadas por alguns dias. Amigos se perdendo, outras amizades se reforçando.
Eu tenho tido dias muito difíceis, pesados, às vezes só queria dormir por quinze dias ou mais.

3 comentários:

Any disse...

Não imagino como deve estar sendo difícil pra você Marcy, eu realmente sinto tanto. Vou torcer por você e sua mãe, que tudo se amenize e que você volte a poder respirar tranquilamente.

Quero que saiba que somos poucas, mais ainda estamos aqui, para te apoiar.

Dê notícias em breve.

Beijo 💋

(●•Lia•●) disse...

Sinto muito muito mesmo!!!
Sei que não é o bastante ou não vai ajudar... mas o meu sentimento foi este!
Sei que sua luta não, não é fácil mesmo.
Sabemos dar dor de perder alguém que amamos, já se vão 06 anos da morte da minha mãe, e isso doe, doe, doe como se fosse ontem. E você da sua vó.


A luta é constante, a carga é pesada, dar vontade de ficar anos luz dormindo para acordar e... se passaram aqueles dias ruins... mais infelizmente não podemos... temos que seguir por vários motivos. Cada qual com o seu... não menos complicado ou não menos doloroso.

Realmente amiga, se formos por tudo que estamos passando... não ia dar mesmo.

Então resumimos, para de algum modo desabafar e ... não seiiii!!!!


Abraços, minha querida!

geisa santos disse...

Nossa essa situação com sua mãe é realente complicada notei que você acredita em Deus ne? Então minha flor entra em oração e pede forças pra ele Ele sempre esta a nos ouvir <3
fique bem bjs